0

Mbappé sofre lesão, mas França vence e fecha ano com chave de ouro

20 nov 2018
20h00
atualizado às 20h16
  • separator
  • comentários

Em amistoso disputado na noite desta terça-feira, a França se despediu de 2018 com chave de ouro. Jogando no Estádio Saint-Denis, em Paris, os "Bleus" reeditaram as quartas de final da Copa do Mundo contra o Uruguai, derrotado na Rússia por 2 a 0. Desta vez, apesar do domínio ao longo da partida, a vitória foi apenas por 1 a 0, com gol do centroavante Olivier Giroud.

Com o resultado, os atuais campeões mundiais encerram a temporada com saldo positivo, apesar da eliminação na primeira fase da Liga das Nações da Uefa. Já o Uruguai, que amargou sua quarta derrota consecutiva após a Copa, promete dar trabalho ao técnico Óscar Tabárez em 2019.

O Jogo - O primeiro tempo foi de um time só. Empurrada por sua torcida, a França criou a primeira chance de gol logo aos três minutos, quando Matuidi recebeu lançamento na esquerda e tocou de primeira para Giroud. O centroavante saiu na cara do goleiro Campaña, mas se desequilibrou e chutou para fora.

Os "Bleus" não davam sossego aos sul-americanos. Aos 15, Mbappé recebeu grande passe de Griezmann, arrancou com a bola e invadiu a área, mas errou o alvo ao tentar tocar por cima do goleiro. Aos 28, após grande passe de Ndombele, o camisa 10 voltou a ficar frente a frente com Campaña, que tirou com o pé. No rebote, Pavard isolou por cima.

O lance causou uma baixa no time da casa. Na dividida com o arqueiro uruguaio, Mbappé machucou o ombro direito na queda e precisou deixar a partida, sendo substituído por Florian Thauvin. Sem o melhor jogador jovem da Copa do Mundo, a França perdeu o ímpeto e viu o Uruguai controlar o jogo nos minutos finais do primeiro tempo.

A França voltou pressionando e abriu o placar aos seis minutos da etapa complementar, quando Giroud converteu pênalti marcado após o zagueiro Cáceres bloquear chute de Griezmann com o braço esquerdo dentro da área.

Em busca do empate, Óscar Tabárez colocou De Arrascaeta no lugar de Valverde e mandou o Uruguai se lançar ao ataque. Didier Deschamps respondeu substituindo Matuidi e Ndombele por N'Zonzi e Fekir.

No entanto, com Luis Suárez e Cavani bem marcados, a Celeste continuou encontrando dificuldades para ameaçar a meta do goleiro Lloris. A França, por sua vez, recuou e passou a apostar nos contra-ataques. Embora tenha diminuído o ritmo, a equipe mandante segurou a pressão e garantiu o triunfo em seu último desafio no ano.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade