0

Ex-técnico da Seleção minimiza pressão sobre Neymar e defende convocação

5 set 2019
07h20
atualizado em 6/9/2019 às 08h52
  • separator
  • 0
  • comentários

Após desfalcar a Seleção Brasileira na Copa América por conta de uma lesão sofrida no amistoso diante do Catar, há menos de uma semana para o início da competição, Neymar figurou como principal assunto da janela de transferências da Europa ao ser disputado por Real Madrid e Barcelona.

Mesmo sem entrar em campo pelo Paris Saint-Germain desde a contusão antes do torneio de seleções em solo brasileiro, Neymar foi chamado por Tite para os amistosos diante de Colômbia e Peru. Ex-treinador da Seleção, Carlos Alberto Parreira comentou a situação do camisa 10.

"Tudo o que o Neymar faz ganha uma densidade geométrica impressionante. O Neymar jogou uma partida agora por 15 minutos, ficou três meses fora. Ninguém falou disso. Só falavam que o Neymar nunca jogou. Ele estava treinando, o Tite entrou em contato com ele, o preparador físico também. Então, tudo o que acontece com o Neymar ganha uma dimensão muito grande", disse.

Parreira ainda analisou a postura de Neymar. Dois anos depois do PSG pagar R$ 812 milhões ao Barcelona para contar com seu futebol, o atacante forçou o retorno para o clube espanhol, mas acabou frustrado pela ação firme dos parisienses, que não baixaram a pedida feita até o fim da janela.

"Acho que essa experiência agora de 'vai, fica, vai ser vendido', que acabou com ele ficando por lá, vai ser muito bom para ele retomar essa carreira de sucesso. Potencial e talento ele tem de sobra. Por isso o Tite convocou, ele ainda é a grande referência do futebol nacional. Nós vamos confiar que ele mude de patamar, se concentre mais no campo, que ele vai voltar a ser grande e vai brigar por coisas muito boas na vida dele", finalizou.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade