PUBLICIDADE

Uefa anuncia que oito sedes da Eurocopa terão público; quatro cidades tem mais dez dias para decidir

Munique, Bilbao, Roma e Dublin são as quatro cidades que ainda decidirão sobre o público nos estádios

9 abr 2021
21h11 atualizado às 21h11
0comentários
21h11 atualizado às 21h11
Publicidade

A Uefa anunciou nesta sexta-feira que oito das 12 cidades-sedes da Eurocopa poderão receber público quando o torneio for realizado, entre junho e julho e, dessa forma, estão garantidas para receber as partidas. Dentre as outras quatro, Munique e Dublin estão com a participação indefinida, e Roma e Bilbao confirmaram a intenção de ter torcida nos estádios, mas não detalharam capacidades e protocolos.

As cidades já confirmadas são Amsterdã (Holanda), Baku (Azerbaijão), Bucareste (Romênia), Budapeste (Hungria), Copenhague (Dinamarca), Glasgow (Escócia), São Petersburgo (Rússia) e Londres (Inglaterra) - esta última receberá semifinais e final da Eurocopa. Cada país definiu por si só a capacidade de público que os estádios poderão receber, de acordo com seu momento na pandemia de covid-19 e as projeções para junho.

Para as sedes que ainda não definiram a questão, a Uefa determinou o prazo de 19 de abril para que as federações e governos de Alemanha, Espanha e Irlanda confirmem ou não a realização dos jogos. Os organizadores locais devem "fornecer informações adicionais sobre os seus planos" para que a Uefa tome uma decisão sobre os jogos em Munique, Bilbao e Dublin. A confederação não deixou claro se há a exigência de presença de público para a manutenção das sedes no torneio, e Roma já havia confirmado que os torcedores poderão estar nos estádios, apesar de não ter dado detalhes dos protocolos.

A nota da Uefa diz que a decisão de contar com público nos estádios teve como base a projeção de melhoria na situação sanitária de cada país, com a diminuição de casos e aceleração na vacinação. E agradeceu o auxílio de federações e governo na busca por soluções.

"Vários países anfitriões já haviam incorporado a Euro 2020 na implementação de sua estratégia de recuperação nacional. Além disso, no planejamento da fase final da Euro, a Uefa trabalhou em estreita colaboração com a Organização Mundial de Saúde para adaptar a ferramenta de avaliação de risco Covid-19 da OMS para a Euro 2020", afirmou a entidade em comunicado.

Confira as porcentagens que cada país pretende receber:

Amsterdã (Holanda): capacidade de 25% a 33%, com possibilidade de aumento

Baku (Azerbaijão): capacidade de 50%

Bucareste (Romênia): capacidade de 25% a 33%, com possibilidade de aumento

Budapeste (Hungria): capacidade de até 100%

Copenhague (Dinamarca): capacidade de 25% a 33%, com possibilidade de aumento

Glasgow (Escócia): capacidade de 25% a 33%

Londres (Inglaterra): capacidade de 25%, com possibilidade de aumento

São Petersburgo (Rússia): capacidade de 50%, com possibilidade de aumento

Estadão
Publicidade
Publicidade