2 eventos ao vivo

'Temos de mostrar que somos capazes de jogar como um time', diz técnico do PSG

Thomas Tuchel quer provar que sua equipe consegue atuar em conjunto e não é dependente de jogadas individuais

10 dez 2019
20h28
atualizado às 20h28
  • separator
  • 0
  • comentários

Classificado às oitavas de final e garantido como primeiro da chave na Liga dos Campeões, o Paris Saint-Germain encara o Galatasaray, nesta quarta-feira, no Parque dos Príncipes, na França, no encerramento da fase de grupos. Apesar da situação confortável, o técnico Thomas Tuchel pretende escalar força máxima e quer aproveitar para extrair do elenco um melhor comportamento coletivo.

Segundo o treinador, mesmo com o talento individual de jogadores como Neymar e Mbappé, o PSG vai depender da estruturação como equipe para brigar pelo título da competição europeia. A equipe francesa nunca foi além das quartas de final na história da Liga dos Campeões.

"Sem eles (Neymar e Mbappé) perdemos muitas qualidades extraordinárias, são decisivos, dispõem da qualidade que procuramos e queremos ter em campo. No entanto, nós precisamos encontrar agora o que nos falta há alguns jogos. Espero que possamos mostrar que somos capazes de jogar como um time de verdade. Se você quer ganhar coisas importantes, só existe esta solução", afirmou Tuchel, em entrevista coletiva antes da partida contra o Galatasaray.

O técnico alemão não quis confirmar o time titular para o confronto em Paris, mas, pela situação que ele mesmo defendeu, os principais jogadores não serão poupados. Tuchel admitiu escalar o quarteto formado por Mbappé, Neymar, Ángel Di María e Icardi, que atuou na vitória sobre o Montpellier por 3 a 1, de virada, no sábado, pelo Campeonato Francês. "Nós sempre tentamos jogar com intensidade. Podemos descansar alguns jogadores e não precisamos correr muito risco, mas esta é uma partida importante", disse.

O último jogo da equipe se tornou tema da coletiva também por outro motivo. Tuchel foi questionado sobre o descontentamento de Mbappé ao ser substituído por Choupo-Moting, aos 45 minutos do segundo tempo. O francês gostaria de ficar em campo até o final da partida contra o Montpellier.

"Ele precisa mostrar respeito por quem entra. Eu sei que os jogadores não gostam (de sair) e não levo isso para o pessoal. Não é um problema para nós, depois de um minuto isso passa. Ele tem muito respeito por todos", afirmou o treinador, que elogiou o comportamento de Mbappé.

"Quando você ganha muitos títulos, tem uma mentalidade diferente no campo, no vestiário, no cotidiano. Ele quer sempre ganhar, não quer sair, mas tem de aceitar. É minha escolha", disse Tuchel. "Ele tem uma mentalidade especial, é absolutamente normal."

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade