PUBLICIDADE

Jornal: PSG sairá prejudicado em caso de rescisão com Sergio Ramos

Paris Saint-Germain corre o risco de pagar todo o salário do defensor espanhol pelo tempo de contrato assinado caso opte pela saída do zagueiro antes de 2023

2 nov 2021 12h06
| atualizado às 12h06
ver comentários
Publicidade

Apesar da rescisão contratual de Sergio Ramos ter sido especulada, o Paris Saint-Germain não cogita esta possibilidade, segundo o "Marca". O clube francês poderia sair prejudicado do ponto de vista econômico caso opte pela saída do defensor antes de 2023, quando o espanhol encerra seu contrato.

Sergio Ramos ainda não entrou em campo pelo PSG desde que foi contratado (Foto: C. Gavelle / PSG)
Sergio Ramos ainda não entrou em campo pelo PSG desde que foi contratado (Foto: C. Gavelle / PSG)
Foto: Lance!

Na França, não há um valor pré-definido de cláusula de rescisão contratual entre uma equipe e um atleta. Com isso, Ramos poderia acionar a Fifa em caso de uma decisão unilateral do PSG e a equipe francesa deveria pagar o salário do jogador até o fim do seu contrato menos o que o defensor iria receber em um novo clube.

No entanto, caso o acordo esteja sujeito aos tribunais franceses, o clube deveria arcar com todo o salário do jogador e sem poder utilizá-lo. Esta hipótese é a que menos faz sentido para o Paris Saint-Germain, pois seria prejudicado do ponto de vista econômico e esportivo.

Além disso, na Liga Francesa, o salário de um atleta que passa dos 90 dias lesionado deixa de ser cobrado. Por conta disso, diversos empresários aconselham seus clientes a realizarem uma espécie de seguro que cubra o período em que estarão inaptos.

Apesar dos problemas, Sergio Ramos segue trabalhando e se recuperando de um problema na panturrilha. As informações apontam que o defensor poderia voltar a treinar com normalidade a partir da próxima semana e começar a atuar pela equipe de Mauricio Pochettino após a pausa por conta da Data Fifa.

Lance!
Publicidade
Publicidade