PUBLICIDADE

Destaque no West Ham, Lingard revela problemas na passagem pelo United

22 abr 2021
14h59 atualizado às 14h59
0comentários
14h59 atualizado às 14h59
Publicidade

Principal destaque da campanha do West Ham no Campeonato Inglês desta temporada, o meia Jesse Lingard está emprestado ao clube londrino pelo Manchester United. Aos 28 anos, o inglês vive grande fase e já soma nove gols e quatro assistências em 14 jogos pelos Hammers.

Em entrevista ao canal Presenting, do YouTube, Lingard falou sobre o momento ruim que viveu no Manchester United  e revelou que alguns problemas pessoais estavam afetando seu desempenho dentro de campo na temporada passada. A entrevista foi gravada em janeiro, quando ainda estava nos Red Devils, mas só foi divulgada nesta quinta-feira.

"Eu estava indo para os jogos (do Manchester United) e ficava feliz de ficar lá sentado no banco. Aí percebi que isso não era para mim. Até falei para o meu irmão outro dia: 'Lembro quanto eu estava satisfeito só de ir lá para ficar sentado na reserva?", disse.

A fase ruim dentro de campo e a depressão da mãe impactaram a relação de Lingard com o futebol e quase resultaram uma pausa na carreira do meia.

"Não pensei em abandonar o futebol, mas pensei, sim, em dar um tempo. A verdade é que eu não queria estar em campo, pois minha cabeça não estava lá. Eu não tinha foco nenhum naquele momento. Eu estava preocupado com outras coisas, e tudo isso estava sendo armazenado dentro de mim.", comentou.

O baixo desempenho e os problemas psicológicos foram decisivos para a saída de Lingard do Manchester United. O meia foi anunciado no West Ham em janeiro de 2021 e, desde então, é um dos principais destaques do time.

Antes do empréstimo, o meia de 28 anos ficava apenas no banco de reservas ou nem chegava a ser relacionado para os jogos dos Devils. O primeiro lockdown imposto na Inglaterra por conta da pandemia de covid-19, em março de 2021, mudou a forma como o inglês encarra a carreira.

"Eu poderia muito bem ter largado minha carreira durante o lockdown. Eu poderia ter dito: 'Quer saber? Não quero mais fazer isso…'. Eu poderia muito bem ter desistido de tudo, mas o lutador que há em mim sempre me faz voltar. Durante o lockdown, eu fui para a academia, comecei a correr como um louco. Eu queria voltar aos treinos em forma e mais rápido do que todos, e foi isso que eu fiz", destacou.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade