PUBLICIDADE

Ex-presidente do Barcelona ganha liberdade condicional antes de sentença

27 fev 2019 10h49
ver comentários
Publicidade

Horas antes do "El Clásico" decisivo pela semifinal da Copa do Rei, o Barcelona movimentou os noticiários por questões extracampo. Isso porque, nesta quarta-feira, O tribunal da Audiência Nacional da Espanha acatou as solicitações dos advogados e anunciou a liberdade condicional, sem fiança, do ex-presidente do clube catalão, Sandro Rossel, e seu sócio Joan Besolí até a sentença do julgamento por fraude fiscal.

De acordo com o jornal Mundo Deportivo, a audiência foi tomada pela emoção dos familiares dos acusados e, após a decisão, por gritos de "liberdade". Agora, Rossel e Besolí retornarão à detenção para recolher seus pertences e dar fim à prisão preventiva de 643 dias da dupla de dirigentes, que ainda não terão acesso aos seus passaportes e deverão comparecer regularmente ao tribunal.

As acusações contra Sandro Rossel são das mais variadas. Entre elas, o ex-mandatário do Barcelona é acusado de cobrar taxas irregulares na venda de direitos televisivos de jogos da Seleção Brasileira, ainda na época que desempenhava a função de presidente da Alianto Marketing, e Ricardo Teixeira, seu amigo pessoal, presidia a Confederação Brasileira de Futebol.

Por solicitação da juíza espanhola Carmem Lamela, Rossel esteve em prisão incondicional desde maio de 2017, quando as provas colhidas pela justiça apontavam um desviou de dinheiro em transações para contas não associadas ao seu nome, configurando lavagem de dinheiro.

Rossel esteve à frente do Barcelona por quatro anos até renunciar ao cargo em janeiro de 2014. A saída, inclusive, foi motivada por uma polêmica envolvendo Neymar. Isso porque o mandatário foi acusado de fraude fiscal na contratação do brasileiro junto ao Santos, em 2013. Posteriormente, acabou inocentado devido a um acordo entre a diretoria catalã e a justiça

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade