4 eventos ao vivo

Chelsea tem torcedores barrados em estádio por vídeo xenófobo contra Salah

Três integrantes da torcida inglesa foram expulsos do Sinobo Stadium, em Praga, antes de vitória na Liga Europa

11 abr 2019
21h31
atualizado às 21h38
  • separator
  • 0
  • comentários

Três torcedores do Chelsea foram expulsos do Sinobo Stadium, em Praga, nesta quinta-feira, antes da partida contra o Slavia Praga, pelas quartas de final da Liga Europa, depois que foram identificados em um vídeo no qual cantam uma música de conotação xenófoba contra o atacante Mohamed Salah, do Liverpool.

As imagens, que foram amplamente compartilhadas nas redes sociais, mostram um grupo cantando, em um bar de Praga, "Salah é um homem-bomba" em referência jogador da seleção do Egito, que é seguidor da religião islâmica. Em comunicado, o Chelsea condenou o comportamento desses torcedores e pediu punição dura a eles.

"O Chelsea FC é contra todas as formas de comportamento discriminatório repugnante. Existe a clara evidência de que torcedores do Chelsea estão envolvidos em tal comportamento. É necessário tomar a ação mais forte possível contra eles. Tais indivíduos são uma vergonha para a grande maioria da torcida do Chelsea, que não tolera esta atitude em seu clube", disse.

O Liverpool também divulgou um comunicado condenando o ato preconceituoso contra Salah. "O vídeo que está circulando nas redes sociais, com cantos discriminatórios dirigidos para um de nossos jogadores, é perigoso e perturbador. Já nesta temporada, vimos outros casos de abuso discriminatório nos estádios da Inglaterra, Europa e em todo o mundo. Nós também temos assistido a inúmeros ataques nas redes sociais. Este comportamento só pode ser chamado de intolerância."

O futebol europeu tem registrado diversos casos de preconceito nos últimos meses. Em 25 de março, os torcedores de Montenegro imitaram sons de macaco para o atacante Sterling, da Inglaterra, em jogo das Eliminatórias da Eurocopa de 2020. Já em 3 de abril, foi a vez da torcida do Cagliari cometer racismo contra Moise Kean, atacante da Juventus, pelo Campeonato Italiano.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade