0

Gnabry, do Bayern, comenta sobre os desafios da volta do futebol alemão

23 mai 2020
07h16
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O Campeonato Alemão foi o primeiro entre os principais a ter seu reinício concretizado. Entretanto, para isso ocorrer, diversos protocolos de segurança estão tendo que ser respeitados. Um deles é realização das partidas sem a presença de público, algo que muitos jogadores nunca haviam vivenciado. Para Serge Gnabry, do Bayern de Munique, é estranho não ter a torcida criando a atmosfera, mas quando o juiz apita, a vontade de ganhar e alcançar grandes resultados é a mesma.

(Foto: Divulgação/Bundesliga)
(Foto: Divulgação/Bundesliga)
Foto: Gazeta Esportiva

"É estranho jogar sem público. Estamos acostumados a olhar em volta e ter muitas pessoas, barulho, as pessoas torcendo por você, tudo isso faz aumentar a adrenalina. Parece algumas vezes um ambiente de amistosos ou treino, mas sabemos que é a Bundesliga e precisamos vencer sempre. Tem que estar sempre focado, com o máximo de atenção", afirmou o atacante bávaro.

O Bayern é o atual líder do campeonato, com 58 pontos, quatro a mais que o Borussia Dortmund. Faltando oito jogos para o fim do torneio, a briga pelo título está aberta. Neste sábado, o Bayern encara o Eintracht Frankfurt, enquanto o Dortmund mede forças com o Wolfsburg. E na terça-feira, líder e vice-líder se encaram em um jogo que pode ser o divisor de águas da Bundesliga.

Para o ponta do Bayern, a sequência da temporada será difícil e o time precisará estar muito bem para sair com a taça.

"É imprevisível, temos jogos difíceis contra o Frankfurt e Dortmund, que está quatro pontos atrás. É o jogo mais importante para conquistarmos a Bundesliga novamente. Sobre as dificuldades da volta, elas são iguais para todos, não podemos reclamar. No futebol é difícil prever os resultados e nas circunstâncias atuais, mais ainda", explicou.

Para tentar sair vitorioso deste complicado fim de temporada, Gnabry crê que é importante o time bávaro manter o ataque avassalador que vem tendo, com 75 gols em 26 partidas, uma média de 2,88 gols por jogo

"Precisamos ser agressivos sempre, recuperar cedo a bola, especialmente no campo adversário, e garantir que vamos sempre para frente. Isso é essencial e, claro, o Lewandowski está em grande fase e isso nos ajuda muito e contamos com ele para fazer gols", finalizou.

Veja também:

DIÁRIO L! DA COPA DE 70: a repercussão da vitória da Seleção sobre os tchecos na estreia do mundial
Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade