PUBLICIDADE

Homem é banido dos estádios na Itália por três anos após assediar jornalista ao vivo

Caso aconteceu após a vitória do Empoli sobre a Fiorentina, em Florença, pelo Campeonato Italiano; identificado como Andrea Serrani, torcedor de 45 anos justificou o ato dizendo que estava 'triste' pela derrota do seu time

30 nov 2021 17h09
| atualizado às 17h30
ver comentários
Publicidade

Um homem de 45 anos foi banido dos estádios na Itália por três anos após assediar a jornalista esportiva Greta Beccaglia, da Toscana TV, durante uma transmissão ao vivo neste final de semana. A repórter ouvia torcedores nos arredores do estádio Carlo Castellani após a vitória do Empoli por 2 a 1 sobre a Fiorentina, pelo Campeonato Italiano, quando Andrea Serrani passou a mão em suas nádegas.

Antes da punição, ocorrida nesta terça-feira, o assediador fez um pedido de desculpas publicamente durante uma entrevista ao programa de rádio local La Zanzara. Apesar de dizer que estava arrependido, a declaração de Serrani foi bastante criticada porque ele tentou justificar o ato argumentando que estava "triste com a derrota" da Fiorentina.

Câmeras da Toscana TV flagraram o momento em que o torcedor assedia a jornalista Greta Beccaglia durante uma transmissão ao vivo
Câmeras da Toscana TV flagraram o momento em que o torcedor assedia a jornalista Greta Beccaglia durante uma transmissão ao vivo
Foto: Reprodução/Toscana TV / Estadão

Por sua vez, a jornalista Greta Beccaglia afirmou que o pedido de desculpas não era suficiente e cobrou uma ação das autoridades pelo incidente. No dia seguinte ao assédio, a profissional fez uma denúncia contra Serrani, identificado pela polícia pelas imagens transmitidas em rede nacional durante o ato.

"Aquele homem fez o mínimo ao se desculpar. Mas um pedido de desculpas nesses casos não é suficiente. A Justiça deve seguir seu curso e estabelecer que aquele gesto vergonhoso é errado", disse Greta ao canal de TV RaiNews24.

Âncora do programa no qual a jornalista fazia a reportagem, Giorgio Micheletti também foi alvo de críticas ao pedir que a repórter "não ficasse brava" após sofrer o abuso diante das câmeras. Ele pediu desculpas pelas "palavras infelizes que usou" naquele momento e reiterou que o único interesse naquele momento era "ajudar" Greta.

Sexismo e abuso de mulheres continuam a ser grandes problemas na Itália. Cerca de 31% das mulheres sofrem violência sexual ou física em suas vidas, de acordo com o Instituto Nacional de Estatísticas (ISTAT, sigla em italiano).

Estadão
Publicidade
Publicidade