PUBLICIDADE

Guarani é derrotado pelo Ituano por 2 a 0 em Campinas em jogo pela Série B e se afunda no torneio

Assim como rival Ponte Preta, time bugrino apresenta dificuldades na competição e ainda está sem treinador

29 jun 2022 - 00h57
(atualizado às 08h14)
Ver comentários
Publicidade

O Guarani continua seu calvário no Campeonato Brasileiro da Série B. Nesta terça-feira à noite, o time perdeu para o Ituano por 2 a 0, no Estádio Brinco de Ouro da Princesa, pela 15ª rodada. Sem técnico e sem controle emocional, a equipe campineira foi muito vaiado por seus torcedores, tanto durante quanto ao final do jogo.

Com 13 pontos, o Guarani ocupa a vice-lanterna, na frente apenas do Vila Nova-GO, com 12. Ponte Preta e Náutico, ambos com 14 pontos, completam a zona de rebaixamento da Série B. O Ituano deu uma respirada em relação à ameaça de degola, indo para a 13ª posição, com 17 pontos. Disputou três jogos seguidos fora de casa, somando duas vitórias e um empate. Somou sete pontos.

O Guarani já entrou em campo em crise. Dois dias antes, a diretoria dispensou o executivo de futebol Michel Alves, o técnico Marcelo Chamusca e toda a sua comissão técnica. O clube anunciou à tarde o acerto com Mozart Santos, ex-CSA. Mas quem dirigiu o time de forma interina foi Ben-Hur Moreira. Ele deixou de lado o esquema com três zagueiros e adotou o tradicional 4-3-3. Não deu certo.

Com Mazola Júnior suspenso, o Ituano teve no banco o auxiliar Carlos Pimentel, que manteve o esquema com três zagueiros, cinco no meio-campo e dois atacantes. Ele manteve a estratégia reagente de esperar o avanço do adversário. O Ituano teve sua missão facilitada pelo excesso de erros de passes do Guarani, que propiciava ao adversário os contra-ataques. O visitante abriu o placar aos 29 minutos, quando Rafael Elias tentou o passe e acabou tabelando com o zagueiro Leandro Castán, do Guarani. Na sobra, ajeitou e bateu de esquerda, contando ainda com a falha do goleiro Maurício Kozlinski, que caiu errado na tentativa de defesa.

A torcida perdeu a paciência e xingou muito os dois jogadores que falharam no lance. Pouco depois, começaram os gritos de 'time sem vergonha'. Aos 31 minutos, Bruno José até fez o gol de empate, mas foi anulado por impedimento, confirmado pelo VAR.

Aproveitando o descontrole emocional do Guarani, o Ituano passou a jogar sozinho e poderia ter ampliado não fossem três erros incríveis de Rafael Elias. Aos 33 minutos, ele demorou para finalizar e foi travado por Leandro Castan. Aos 37, arrancou de seu campo defensivo, deixou os zagueiros para trás na velocidade e, na área, fez o mais difícil: chutou bem alto, por cima do travessão.

Dois minutos mais tarde, outra chance perdida pelo atacante revelado e ainda vinculado ao Palmeiras, onde surgiu como Papagaio. Aylon disparou pelo lado esquerdo e cruzou rasteiro para a batida de esquerda de Rafael Elias, que errou de novo. Desta vez, a bola passou do lado da trave direita. No intervalo, a torcida não perdoou e vaiou muito os jogadores bugrinos.

No minuto inicial do segundo tempo, o Guarani quase empatou numa falta cobrada por Silas, que desviou na barreira e ganhou efeito quase enganando o goleiro Pegorari, que espalmou para escanteio. Mas logo tudo voltou ao normal: os bugrinos nervosos, com medo de tocar na bola sob os apupos da torcida. Chrigor foi até a linha de fundo, cortou seu marcador e cruzou rasteiro em direção à pequena área. Por sorte, Rafael Elias já tinha saído de campo e Neto Berola completou para as redes de letra. O auxiliar anotou impedimento, mas o VAR validou o gol. No fim, muitos xingamentos e vaias da torcida campineira. Na 16ª rodada, no sábado, o Guarani vai enfrentar o CRB, às 20h30, em Maceió (AL), enquanto o Ituano recebe o Criciúma, às 16h30, em Itu.

FICHA TÉCNICA

GUARANI 0 X 2 ITUANO

GUARANI - Maurício Kozlinski; Lucas Ramon (Diogo Matheus), João Victor, Leandro Castan e Matheus Pereira; Leandro Vilela, Eduardo Person (Índio) e Silas (Vitinho); Bruno José (Maxwell), Lucão do Break e Júlio César (Yago). Técnico: Ben-Hur Moreira (interino).

ITUANO - Pegorari; Pacheco (Córdoba), Lucas Dias, Rafael Pereira, Bernardo Schappo e Mário Sérgio; Kaio (Jiménez), Caíque e Gerson Magrão (Lucas Siqueira); Aylon (Neto Berola) e Rafael Elias (Chrigor). Técnico: Carlos Pimentel (auxiliar).

GOLS - Rafael Elias, aos 29 minutos do primeiro tempo. Neto Berola, aos 46 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Bráulio da Silva Machado (SC)

CARTÕES AMARELOS - Maxwell, Matheus Pereira, Maurício Kozlinsky, Bruno José e Silas (Guarani). Rafael Pereira e Jiménez (Ituano).

RENDA - R$ 18.770,00.

PÚBLICO - 1.460 pagantes.

LOCAL - Estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas (SP).

Estadão
Publicidade
Publicidade