0

Goleiro do Brasil de Pelotas desabafa e diz ter sido alvo de insultos racistas

Caso aconteceu no primeiro tempo na derrota por 2 a 1 para o Bragantino e foi relatado na súmula pelo árbitro

1 set 2019
10h59
atualizado às 10h59
  • separator
  • 0
  • comentários

O goleiro do Brasil de Pelotas, Carlos Eduardo, desabafou e disse ter sido vítima de ofensas racistas na partida contra o Bragantino, que terminou com vitória do time de Bragança por 2 a 1, na noite deste sábado, pela 20.ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

Ao final do jogo, em entrevista à Rádio da Universidade, de Pelotas, Carlos Eduardo afirmou que ouviu xingamentos com palavras de cunho racista por parte de torcedores do Bragantino que estavam atrás de seu gol.

Goleiro do Brasil de Pelotas desabafa e diz ter sido alvo de insultos racistas.
Goleiro do Brasil de Pelotas desabafa e diz ter sido alvo de insultos racistas.
Foto: GE Brasil Twitter / Estadão

Perguntado a respeito dos gritos de "frangueiro" que ouviu de parte de torcedores da equipe rival, o goleiro respondeu que houve xingamentos muito piores vindos da arquibancada.

"Isso é futebol, é torcida. O que não pode é o que aconteceu ali, um torcedor deles veio me chamar com palavras de cunho racista (…) Podem xingar à vontade, chamar de frangueiro, mas racismo, não. Isso aí é passado no futebol, já acabou. Nossa equipe está de parabéns. Tem os torcedores que são bons e apoiam, mas infelizmente tem, desculpa o termo, mas uns babacas que fazem isso aí", relatou o goleiro.

O caso aconteceu no primeiro tempo da partida e foi relatado na súmula pelo árbitro Paulo Henrique de Melo Salmazio.

"Informo que aos 30 minutos do primeiro tempo, quando se preparava para uma reposição em tiro de meta, o goleiro da equipe G.E. Brasil, Sr. Carlos Eduardo Soares Mota, veio em minha direção e informou que do local onde se encontrava torcedores do C.A. Bragantino foram proferidas as seguintes palavras a ele: "negão de m... do c...". Informo ainda que pela distância do local não foi possível nenhum membro da equipe de arbitragem escutar as palavras citadas pelo goleiro. Após este fato foi reforçada a fiscalização no referido setor".

Após a partida, ainda na noite do sábado, o Brasil de Pelotas divulgou uma nota em suas redes sociais para lamentar o episódio, cobrar punições aos torcedores envolvidos e mandar força ao goleiro.

"Em virtude dos acontecimentos com o goleiro Carlos Eduardo na partida diante do @bragantino_real na noite deste sábado (31), o GE Brasil repudia qualquer manifestação ou ato de racismo. Não há mais espaço para discriminação de qualquer natureza no futebol. Esperamos providências dos órgãos competentes e que tais atitudes não aconteçam mais. Força, Cadu!", publicou o clube.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade