PUBLICIDADE

Pia projeta Marta indo a Paris-2024: "Espero que ela queira"

Treinadora sueca diz que espera contar com a estrela nos Jogos Olímpicos e que a Seleção chegue mais forte também na próxima Copa do Mundo

19 set 2021 16h26
| atualizado às 20h06
ver comentários
Publicidade

Treinadora da Seleção Brasileira feminina desde julho de 2019, Pia Sundhage espera ter a oportunidade de trabalhar com a meia-atacante Marta, uma das maiores estrelas do futebol nacional, por muito mais tempo. Mesmo atenta ao fato de que a craque está com 35 anos, se aproximando cada vez mais da aposentadoria, a sueca conta com ela para o novo ciclo do Brasil, iniciado com a vitória por 3 a 1 em amistoso contra a Argentina, na última sexta-feira.

Marta durante treino da Seleção Brasileira em João Pessoa
Marta durante treino da Seleção Brasileira em João Pessoa
Foto: Talita Gouvêa/CBF

O jogo preparatório contra as rivais foi o primeiro após os Jogos Olímpicos de Tóquio, portanto iniciou a preparação para os próximos desafios da seleção. Além de uma Copa América marcada para 2022, as brasileiras terão pela frente as disputas da Copa do Mundo em 2023 e da Olimpíada de Paris, em 2024.

Em entrevista ao Esporte Espetacular, da TV Globo, Pia afirmou que confia na possibilidade de Marta seguir com a Seleção para a disputa dos Jogos na capital francesa. "Eu espero! Mas é tudo questão de ela ter paixão e realmente querer", disse a treinadora. "Espero que ela queira. Porque se ela quiser e estiver disposta a continuar a amar o jogo com toda paixão, ela pode ter um grande papel", completou.

Ao falar sobre as condições físicas da atleta, a sueca disse estar pensando na opção de utilizá-la em uma posição que não exija tanta velocidade e na qual ela possa explorar suas qualidades como finalizadora. Conforme oficializado pela CBF na última sexta-feira, Marta tem 116 gols em 171 jogos pela Seleção Brasileira, o que faz dela a maior artilheira entre homens e mulheres. "Ela não é mais tão veloz, gostaria de vê-la mais perto do gol, mas depende do que ela quer", avaliou Pia.

Contra a Argentina, na sexta-feira, Marta jogou mais adiantada e foi substituída no intervalo. Durante a disputa dos Jogos Olímpicos de Tóquio, que terminou com o Brasil sendo eliminado para o Canadá nas quartas de final, a jogadora atuou mais longe do gol, o que, segundo Pia, era o melhor para o time naquele momento.

"A jogadora sabe qual função desempenha melhor. E na Olimpíada talvez jogar mais perto do gol fosse melhor pra ela, mas não para o time. E eu devo trazer a melhor resposta do time, então se você olhar para as nossas atacantes, ainda acho que foi a melhor solução nas quartas de final. Agora teremos novas jogadoras, talvez a gente mude um pouco nosso estilo, e amanhã (o futuro) pode ser diferente", comentou a treinadora.

Novo amistoso nesta segunda-feira

A Seleção Brasileira volta a enfrentar a Argentina, em novo amistoso, a partir das 16 horas de segunda-feira, no Estádio Almeidão, em João Pessoa. Em coletiva de imprensa neste domingo, Pia falou sobre mudanças que fará para a partida.

"Nós teremos algumas mudanças iniciais para o jogo e vindas para o segundo tempo também. Com todas as informações e assistindo novamente o jogo contra a Argentina, eu gostaria que mantivéssemos a posse um pouco melhor, mas ao mesmo tempo eu as encorajei a desafiar as linhas. Defensivamente acho que estamos bem", comentou a sueca.

A treinadora abordou também a reformulação pela qual a Seleção vem passando ultimamente. Pia acredita que a equipe tem avançado no aspecto físico, e a chegada de jogadoras jovens é fundamental para isso. "Nós avançamos um pouco quando o assunto é preparo físico. Você não muda tudo em um dia só. Estamos trabalhando há dois anos, e acho que, aos poucos, deixaremos claro para as jogadoras que se elas querem vencer em nível internacional, elas precisam correr. Algumas delas já perceberam isso e terão nosso apoio. Acho que as jogadoras mais jovens podem entrar e mudar um pouco a atitude. Elas não tem a mesma experiência que as outras. Elas entram com pernas e olhos frescos, então espero que junto com as mais velhas, criaremos um time dinâmico", disse.

Pia também aproveitou para analisar o posicionamento de Marta, que tem aparecido mais recuada nos jogos da Seleção. Para a treinadora, isto influência na forma de jogo do time todo. "Tem algumas situações muito interessantes. Acho que todos vocês perceberam que ela (Marta) tem voltado um pouco, construindo de trás e isso significa que precisamos de jogadoras vindo de trás e desafiando as linhas, então ainda seremos dinâmicas. A chave será achar jogadoras que enfatizam as duas coisas. Manter a posse, mas também desafiar as linhas", analisou.

Em bom humor, Pia, que apareceu em vídeo recentemente cantando a música "Anunciação" de Alceu Valença, falou sobre o amor que tem pela música brasileira. A sueca disse que tem tentado "aprender as palavras".

"Eu escutei as músicas no ônibus. Ou é a Marta com um tipo de música ou alguém com músicas mais modernas. É contagioso. Naquele ônibus, indo aos treinos, é a experiência com a música que tenho. Gosto do ritmo e quem sabe possamos trazê-lo ao campo. Eu gosto do ritmo quente e brasileiro. É difícil aprender as palavras, mas estou tentando", contou. (com informações da Gazeta Esportiva)

Estadão
Publicidade
Publicidade