PUBLICIDADE

Fluminense pressiona, mas para em Richard e empata sem gols com o Ceará

Alvinegros e tricolores têm o mesmo número de pontos no Brasileirão e ocupam 9ª e 10ª posições, respectivamente

8 jul 2021 00h07
| atualizado às 00h07
ver comentários
Publicidade

O Fluminense pressionou, exigiu boas defesas do goleiro Richard, teve um gol anulado, mas não conseguiu marcar e empatou sem gols com o Ceará na noite desta quarta-feira, em São Januário. O time carioca foi melhor que o rival cearense, jogou com intensidade no ataque, liderado por Caio Paulista, mas falhou nas finalizações e dá mais um sinal de que é incapaz, ao menos por enquanto, de dar fim à irregularidade que não permite que deslanche no Campeonato Brasileiro.

O resultado mantém as duas equipes na parte intermediária da tabela, ambos com 14 pontos. O Fluminense, que vinha animado após a vitória no clássico contra o Flamengo, é o décimo e o Ceará está logo acima, no nono lugar, porque leva vantagem no critério de desempate.

O Fluminense foi superior ao Ceará em quase todo o jogo, especialmente no primeiro tempo. Contou com uma ótima exibição de Caio Paulista, que foi quem mais levou perigo ao goleiro Richard. Escalado no meio ao lado de Yago Felipe, André passou no teste e fez um bom jogo, ao contrário de Gabriel Teixeira. Roger Machado escalou o jovem com a missão de ser o armador da equipe e ele não correspondeu. Luiz Henrique também se destacou.

Fred se machucou ainda no primeiro tempo, aos 18 minutos, e deu lugar a Lucca. A situação é preocupante para o treinador tricolor, considerando que os reservas do artilheiro, Bobadilla e Abel Hernández, também estão fora.

Caio Paulista foi o jogador de ataque mais participativo. O jovem balançou as redes aos quatro minutos, mas o VAR revisou o lance e apontou impedimento. Aos 10, o atacante finalizou cruzado, com perigo. Nos acréscimos, ele reapareceu em finalizou perigosa que saiu por cima do gol.

Caio Paulista continuou tentando e, no segundo tempo, quase marcou um gol de placa. Enfileirou marcadores, ajeitou para a canhota e bateu de chapa, consciente, buscando o canto. Para seu azar, Richard voou para espalmar e evitar o gol. O goleiro do Ceará, aliás, foi um dos melhores em campo.

Ele também defendeu um cabeceio difícil de Lucca no início da etapa final, desviou falta de Nenê no fim e foi seguro nas saídas da meta nas bolas aéreas, seja em faltas ou escanteios.

Roger tentou de tudo para que sua equipe saísse vitoriosa. Lançou mão de Cazares, Nenê e Martinelli. Mas o trio de meio-campistas pouco produziu. Não era o dia do Flu diante de um Ceará que não conseguiu encaixar os contra-ataques que planejava, mas se defendeu bem e saiu do Rio de Janeiro com um ponto importante.

O Fluminense volta a campo no sábado, às 19 horas, para enfrentar mais um adversário do Nordeste, o Sport, na Ilha do Retiro, em Recife. No dia seguinte, o Ceará visita o Cuiabá, às 18h15, na Arena Pantanal. Os confrontos são válidos pela 11ª rodada do Brasileirão.

FICHA TÉCNICA:

FLUMINENSE 0 x 0 CEARÁ

FLUMINENSE - Marcos Felipe; Samuel Xavier, Nino, Luccas Claro e Egídio; André (Martinelli), Yago Felipe (Nenê) e Gabriel Teixeira; Caio Paulista, Luiz Henrique (Cazares) e Fred (Lucca). Técnico: Roger Machado.

CEARÁ - Richard; Buiú, Messias, Gabriel Lacerda e Bruno Pacheco; Fernando Sobral, Marlon (Pedro Naressi) e Vina (Kelvyn); Lima (Rick), Mendoza e Cléber (Jael). Técnico: Guto Ferreira.

ÁRBITRO - Ramon Abatti Abel (SC).

CARTÕES AMARELOS - Vina, Nino, Cléber, Lucca e Pedro Naressi

LOCAL - São Januário, no Rio de Janeiro (RJ).

Estadão
Publicidade
Publicidade