0

Felipão acha lances ríspidos normais: “Copa do Mundo vai ser assim”

11 set 2013
01h56
atualizado às 02h06

As jogadas mais duras no amistoso entre Brasil e Portugal não surpreenderam o técnico Luiz Felipe Scolari. Depois do triunfo por 3 a 1 sobre a equipe da Europa, na noite de terça-feira, nos Estados Unidos, o treinador avaliou como positivo o desempenho da Seleção e acha que o duelo foi importante na preparação para a Copa do Mundo de 2014.

"Podemos ver em que estado estamos quando jogamos contra Portugal, França, Inglaterra, Espanha... Foi uma partida um pouco mais ríspida, mas isso é normal, porque os jogadores se expõem e tentam jogadas diferentes. Foi equilibrado no primeiro tempo, mas, no segundo, fizemos o terceiro e pudemos administrar mais. A Copa vai ser assim, e as equipes se formam nestes jogos", afirmou.

O atacante Neymar sofreu com a marcação implacável desde o início, inclusive se desentendendo com o lateral direito João Pereira e com o zagueiro Pepe antes mesmo dos dez minutos de jogo. Mais tarde, o brasileiro ainda levou uma cotovelada de Bruno Alves, que antes havia pisado na virilha de Bernard.

Apesar de todas as jogadas mais bruscas, Felipão pôde se confraternizar com integrantes da comissão técnica e também com jogadores portugueses, remanescentes da época em que dirigiu a seleção daquele país.

"Sou muito bem aceito lá. É difícil, pelos laços que nós temos, mas o futebol é desenvolvido desta forma e tenho de fazer meu trabalho pelo Brasil", ponderou o treinador. O auxiliar Murtosa também reencontrou antigos amigos.

Em campo, Portugal abriu o placar com gol de Raul Meireles, depois de falha de Maicon. Porém, ainda no primeiro tempo, Thiago Silva e Neymar viraram. Já no início da etapa complementar, Jô assinalou o terceiro e diminuiu o ímpeto do adversário.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
publicidade