0
Logo do Liga dos Campeões
Foto: Terra

Liga dos Campeões

Fábio Aurélio vê Liverpool favorito contra Barcelona e exalta vantagem histórica

Brasileiro estava em campo na última vez que as equipes se encontraram pela Liga dos Campeões

1 mai 2019
16h26
atualizado às 17h38
  • separator
  • 0
  • comentários

Presente no jogo em que ajudou o Liverpool a eliminar o Barcelona no confronto de volta das oitavas de final da Liga dos Campeões, em 2007, o ex-lateral-esquerdo Fábio Aurélio afirmou nesta quarta-feira que vê o time inglês como favorito a avançar à decisão desta edição da competição continental. O primeiro jogo foi no Camp Nou, na Espanha, e as equipes voltam a se encontrar no dia 7 de maio, no Anfield Road, na Inglaterra.

O ex-jogador brasileiro, hoje com 39 anos, entrou no segundo tempo do duelo de volta daquele embate contra o Barça, substituindo o lateral norueguês John Riise. O jogo terminou com vitória da equipe espanhola por 1 a 0, no estádio Anfield, mas o clube inglês se garantiu nas quartas de final por ter vencido por 2 a 1 na ida, na Espanha, pois o maior peso dos gols marcados fora de casa serviram como fator de desempate.

E Fábio Aurélio vê a equipe do Liverpool de hoje como superior ao time que despachou o Barça naquela ocasião. E isso apesar do fato de aquela geração ter sido responsável pelo título europeu que o clube inglês conquistou em 2005.

"Em 2007 o Liverpool tinha um conjunto bom, mas não tantos destaques individuais como o elenco atual tem. A gente tinha o Gerrard, que era nosso comandante em campo e grande ídolo, e outros jogadores obviamente importantes, mas não como os de agora. O trio de ataque é uma força muito grande que o Liverpool tem e acredito que o Liverpool chega mais forte. E o time também tem uma defesa sólida e um conjunto muito bom", afirmou o ex-atleta, em entrevista ao Estado, na qual também exaltou a vocação goleadora do time comandado por Jürgen Klopp.

"Na época o nosso time não era de fazer tantos gols como o Liverpool de agora é. O time atual é muito mais perigoso e veloz em contra-ataque, e isso é um ponto favorável. Eu apontaria o Liverpool como favorito pela própria campanha que vem fazendo na Champions e pelo recorde de pontos que já conseguiu neste Campeonato Inglês", reforçou.

Na luta direta pelo título nacional com o Manchester City, o time já contabiliza 91 pontos na vice-liderança, o maior número somado pelo clube desde quando a competição passou a ser chamada de Premier League. E Fábio Aurélio apontou o trio de ataque da equipe de Klopp como o seu maior trunfo neste mata-mata com o Barça.

"O tridente com Mané, Salah e Firmino é muito direto e agressivo, muito rápido, e eles têm um entrosamento que aumenta ainda mais o poderio do trio. Sabendo que o forte do Barcelona não é a defesa, acredito que o Liverpool pode levar vantagem neste sentido", aposta o ex-jogador, que depois enfatizou: "Passando pelo Barcelona, indiscutivelmente seria favorito ao título na final (contra Ajax ou Tottenham), até pelo histórico que tem na competição. É um time copeiro, acostumado aos mata-matas, que não sente tanto o peso destes jogos. Por isso é o favorito. Se chegar na final, acho difícil que deixe escapar esta conquista".

PESO HISTÓRICO

Fábio Aurélio ainda disse acreditar que existam semelhanças entre aquele confronto das oitavas de final entre Barça e Liverpool com o de agora pelas semifinais. E ele lembrou que, como há 12 anos, os times voltarão a medir forças após participarem de decisões recentes de Liga dos Campeões - a equipe inglesa foi batida pelo Real Madrid na final do ano passado, enquanto o time espanhol caiu em 2007 como atual campeão europeu, com o troféu obtido em 2006.

"O Barcelona vem de um título espanhol ganhado antecipadamente. Messi vive novamente uma temporada espetacular e um momento brilhante. O Barça tem jogadores espetaculares, assim como tinha em 2007, mas acredito que o Liverpool venha mais preparado neste confronto", repetiu o ex-lateral, que também vê pesar o fato de que a equipe inglesa também levou a melhor sobre o rival espanhol em outros dois mata-matas continentais, nas semifinais das edições de 1975/1976 e de 2000/2001 da Copa da Uefa, hoje chamada de Liga Europa.

"O fato de o Liverpool já ter eliminado o Barça em outras vezes que se enfrentaram pesa sim. O jogador sabe dessa estatística, ouve falar. Isso não tira a dificuldade do confronto, mas isso te dá uma confiança a mais para a hora do jogo. Você junta a isso o momento que o time está vivendo, que é muito bom, mesmo sabendo da força do adversário e que os detalhes decidem e definem muito estes confrontos, mas você chega com uma confiança grande de que o peso está mais para o lado do adversário, que nunca conseguiu ganhar de você ainda em mata-mata", analisou Fábio Aurélio. "Esse peso, dada a dificuldade do jogo, no inconsciente vai florescendo e vai pesando. E pesa para o Liverpool o fato de já ter eliminado o Barcelona em outras edições", reforçou.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade