3 eventos ao vivo

'Estamos preparados para fazer o impossível', diz Reus sobre missão do Dortmund

Equipe alemã recebe o Tottenham e precisa reverter o placar de 3 a 0 da ida para ir às quartas de final

4 mar 2019
12h04
atualizado às 12h04
  • separator
  • comentários

O Borussia Dortmund tem uma missão das mais espinhosas pela frente nesta terça-feira. Derrotado na Inglaterra por 3 a 0, há três semanas, o time alemão precisa reverter esta desvantagem no duelo contra o Tottenham, no estádio Signal Iduna Park, em Dortmund, pela rodada de volta das oitavas de final da Liga dos Campeões da Europa. O meia e capitão Marco Reus garante que a equipe está pronta para esse desafio.

"Acredito que estamos preparados para fazer o impossível. O importante é ser obrigado a acreditar nisso, nos faz falta uma atuação em alto nível. Daremos o máximo e tentaremos marcar os gols nos momentos importantes", disse Reus, nesta segunda-feira, em entrevista coletiva em Dortmund.

O meia não esteve em campo no estádio de Wembley, em Londres, na partida de ida, pois ficou três semanas fora dos gramados por conta de uma lesão muscular. Totalmente recuperado, pede que o Borussia Dortmund ache um equilíbrio para derrotar o Tottenham. "Será importante também encontrar um bom equilíbrio ofensivo e defensivo porque, se fizermos um gol ficará difícil para eles (time inglês)", acrescentou.

O técnico Lucien Favre compartilha da opinião de seu capitão. "Sabemos que será difícil, mas nunca se sabe. Claro que precisamos de uma super atuação, mas tudo é possível. Devemos jogar com muita inteligência", comentou.

O problema para o Borussia Dortmund é que a atual fase não é das melhores. Em fevereiro, o time só ganhou uma vez nas sete partidas que fez. Além da derrota na Inglaterra, foi eliminado nas oitavas de final da Copa da Alemanha e permitiu no último final de semana que o Bayern de Munique se igualasse na pontuação para dividir a liderança do Campeonato Alemão.

"Claro que não estamos contentes com os nossos últimos resultados. Perdemos pontos de maneira inútil e cometemos muitos erros. Mas temos que ser otimistas, trabalhar e analisar essas partidas para identificar os erros e não cometê-los mais", completou Reus.

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade