0

Ponte Preta vence fácil o Guarani e tira chances de classificação do rival

De quebra, equipe alvinegra ainda aumentou o tabu para sete anos sobre o adversário de Campinas

16 mar 2019
21h43
  • separator
  • comentários

A Ponte Preta levou a melhor no 193º clássico de Campinas ao derrotar o Guarani por 3 a 0, neste sábado, no estádio Moisés Lucarelli, pela 11.ª rodada do Campeonato Paulista. De quebra, a equipe aumentou o tabu para cima de seu arquirrival.

O Guarani não vence a Ponte Preta há quase sete anos. Nesse tempo, foram três vitórias do time alvinegro e um empate. O jejum é ainda maior atuando no Moisés Lucarelli, onde a equipe bugrina não comemora um resultado positivo desde junho de 2009.

No entanto, o Guarani leva a melhor no retrospecto geral. Eles já se enfrentaram em 193 oportunidades, com 66 vitórias, 63 derrotas e 63 empates. Além disso, há um resultado desconhecido.

A vitória ainda teve um gosto especial para a Ponte Preta. O time acabou com qualquer chance do rival buscar a classificação às quartas de final. A equipe bugrina tem 14 pontos no Grupo B, contra 19 do Novorizontino e 22 do Palmeiras. A Ponte tem 19 no Grupo A, também eliminada, porque o Red Bull Brasil tem 24 e o Santos, 23.

A Ponte Preta entrou em campo com um baque sofrido na sexta-feira. A vitória do Red Bull Brasil para cima do São Bento, por 3 a 2, eliminou o time da competição. Mesmo assim, os jogadores pareciam com "fome de bola" e envolveram o Guarani, acompanhados dos gritos de seus torcedores, que compareceram em bom número ao Moisés Lucarelli, apesar do tempo chuvoso.

A Ponte Preta abriu o placar aos 40 minutos. Em um lance polêmico dentro da área, o árbitro marcou pênalti após carrinho de Ferreira em Edson. Antes, a bola tocou no braço de Ricardinho, mas o árbitro interpretou como ato sem intenção. Thalles foi para a cobrança e mandou no canto esquerdo para superar o goleiro Giovanni, que caiu certo. Na comemoração, o atacante colocou a máscara de gorila, constantemente usada em dérbis, e acabou recebendo o cartão amarelo.

O gol acabou com qualquer poder de reação do Guarani, que chegou com perigo com Diego Cardoso e Thiago Ribeiro, no início da partida, mas ficou aquém no final. E por muito pouco não custou caro. Giovanni foi buscar um chute no ângulo de Diego Renan. Júlio César também assustou ao mandar rente à trave.

No segundo tempo, a Ponte Preta voltou ainda melhor e ampliou aos três minutos. Diego Renan recebeu pela esquerda e tentou o chute. Ele acabou parando na poça de água, mas o lateral conseguiu se recuperar, passou pelo marcador e mandou de direita para o fundo das redes.

Enquanto o clima era de festa nas arquibancadas, dentro de campo o jogo ficou morno. O Guarani pouco atacava e a Ponte apenas administrava, até que aos 25 minutos em rápido contra-ataque, Thalles tocou para Matheus Oliveira. Ele deixou com Gerson Magrão. O meia chutou cruzado para fazer o terceiro.

Sob gritos de "olé", a Ponte Preta deixou o tempo passar. E Jorginho promoveu a estreia de Abner, de 18 anos, no time profissional. Sem sofrer qualquer risco, o time acabou eliminando o Guarani e conquistando uma vitória sempre de muito peso.

O duelo contou com a presença no estádio de Luis Fabiano, atacante revelado na Ponte Preta e que brilhou em outros clubes como ex-São Paulo e passou pela seleção brasileira.

Na última rodada, a Ponte Preta fecha sua participação no Paulistão contra o Palmeiras na quarta-feira, às 21h30, no Allianz Parque. No mesmo dia e horário, o Guarani pega o Red Bull Brasil, no Brinco de Ouro.

FICHA TÉCNICA

PONTE PRETA 3 X 0 GUARANI

PONTE PRETA - Ivan; Luis Ricardo, Renan Fonseca, Reginaldo e Diego Renan (Giovanni); Edson, Gerson Magrão, Matheus Oliveira e Matheus Vargas (Nathan); Júlio César (Abner) e Thalles. Técnico: Jorginho.

GUARANI - Giovanni; Léo Príncipe, Ferreira, Diego Giaretta e William Matheus; Deivid, Ricardinho, Felipe Amorim e Diego Cardoso (Fernando Viana); Thiago Ribeiro (Mateusinho) e Anselmo Ramon (Carlinhos). Técnico: Osmar Loss.

GOLS - Thalles, aos 40 minutos do primeiro tempo; Diego Renan, aos três, e Gerson Magrão, aos 25 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Raphael Claus

CARTÕES AMARELOS - Reginaldo, Edson e Thales (Ponte Preta); Ferreira, Deivid, Felipe Amorim e Ricardinho (Guarani).

RENDA - R$ 325.235,00.

PÚBLICO - 11.287 pagantes (11.976 total).

LOCAL - Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas.

Estadão
  • separator
  • comentários
publicidade