2 eventos ao vivo

'Podemos melhorar a agilidade na revisão de lances', diz chefe da arbitragem paulista sobre o VAR

Presidente da Comissão de Arbitragem admite problemas na comunicação, mas faz balanço positivo do árbitro de vídeo no Estadual

25 mar 2019
11h59
atualizado às 18h05
  • separator
  • comentários

Ednilson Corona, presidente da Comissão de Arbitragem da Federação Paulista de Futebol, faz balanço positivo sobre o uso do VAR (árbitro de vídeo) nas quatro primeiras partidas das quartas de final do Campeonato Paulista. Para o ex-árbitro, o resultado foi "bastante satisfatório". Ele tem apenas uma ressalva, com relação à comunicação entre a equipe do VAR e o árbitro de campo. "Podemos melhorar na questão da agilidade na revisão dos lances", diz em entrevista o Estado. Sobre o jogo Novorizontino 1 x 1 Palmeiras, alvo de reclamação dos palmeirenses que pediram falta no início da jogada do gol do time do Interior, Corona é enfático: "não houve infração".

Qual é a sua avaliação sobre o uso do VAR nas quatro primeiras partidas das quartas de final do Campeonato Paulista?

Achei bastante satisfatório, porém quero analisar um pouco melhor a partida São Paulo x Ituano com relação ao procedimento adotado no campo, nada com o VAR, mas sim com a equipe de campo, que ao meu ver não foi muito bem no procedimento de uma jogada. Mas o trabalho da equipe da sala do VAR foi bastante satisfatório.

Ednílson Corona, presidente Comissão Arbitragem da Federação Paulista de Futebol
Ednílson Corona, presidente Comissão Arbitragem da Federação Paulista de Futebol
Foto: Reprodução/CBF TV / Estadão

Quais pontos podem ser melhorados?

Entendo que podemos melhorar na questão da agilidade na revisão dos lances. Tivemos algumas situações com problemas de comunicação. No jogo São Paulo x Ituano, desde o início da partida tivemos problemas com relação à comunicação. Vou conversar com a empresa responsável e saber até que ponto a distância dos equipamentos interferiu. Tínhamos um parecer das partidas nas quais testamos o VAR offline, mas agora vamos apurar uma série de coisas.

No jogo Novorizontino x Palmeiras houve muita reclamação por parte dos palmeirenses. O VAR errou?

É tudo muito novo. Temos pouco mais de dez partidas no País realizadas com o VAR. No jogo do Palmeiras x Novorizontino, por exemplo, algumas pessoas questionaram o motivo de o árbitro de campo não ter ido ver na TV o lance do gol do Novorizontino. Não tinha como ele ver porque não houve infração. O árbitro não vai verificar quando não há infração. Mas esse entendimento de como funciona o VAR demanda tempo e interesse das pessoas.

O que torcedores e jogadores podem esperar do VAR para as quatro jogos de volta das quartas de final?

Nesta segunda-feira começaremos as atividades com os árbitros que atuarão nas partidas de terça e quarta-feira e eles vão para o regime de concentração. Vamos colher todas as informações dos quatro jogos do fim de semana para fazer uma abordagem maior com os árbitros. Boa parte dos árbitros que vai trabalhar nos jogos de volta das quartas de final já teve a experiência com o VAR no fim de semana. Vamos ouvir todo mundo e eles poderão relatar as dificuldades que tiveram. A tendência é que a gente cresça.

O fato de os jogos agora serem eliminatórios aumenta a pressão com relação ao uso do VAR?

Quatro equipes estarão fora do Estadual depois dos jogos de terça e quarta-feira. São partidas que tendem a exigir mais da arbitragem, mas trabalhamos com a máxima de que excelentes atuações em campo dispensam o trabalho do VAR.

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade