PUBLICIDADE

Centurión ganha torcida, Muricy e pode barrar Luís Fabiano

9 mar 2015 - 08h33
Ver comentários

Quando o São Paulo deixou Rio Claro com um melancólico empate por 0 a 0, há uma semana, Muricy Ramalho já começou a pensar na escalação para a partida contra o Corinthians, neste domingo, no Morumbi. Por questões contratuais, simplesmente o artilheiro do time no ano, Alexandre Pato, não poderia entrar em campo. Mas e quem jogaria no lugar dele? Ricardo Centurión ou Thiago Mendes? O técnico optou pelo argentino. E não se arrependeu.

Apesar da derrota para o Corinthians por 1 a 0, Muricy Ramalho elogiou (bastante) o jovem de 22 anos, recém-contratado junto ao Racing, da Argentina - que também teve o nome gritado pela torcida. Questionado sobre as diferenças do clássico deste domingo para o realizado há quase um mês, em Itaquera, pela Libertadores, o técnico apontou Centurión como o diferencial do duelo disputado pelo Campeonato Paulista – suspenso, o argentino não teve condições de entrar em campo na casa corintiana.

<p>Centurión foi o melhor jogador do São Paulo em campo neste domingo</p>
Centurión foi o melhor jogador do São Paulo em campo neste domingo
Foto: Miguel Schincariol / Gazeta Press

“Não dá para jogar igual daquela vez. Você ficar 90 minutos sem dar um chute ao gol de novo é impossível, nem que você queira... Mas desta vez tivemos profundidade, coisa que não é normal. E graças a uma agradável surpresa que foi o Centurión. Ele deu mais velocidade ao time e consertou o nosso lado esquerdo, que era o mais fraco. Nós só jogávamos por um lado e desta vez não foi assim”, afirmou o técnico, que ainda indicou que o argentino ganhará mais chances no time titular daqui para frente.

“Ele tem o drible, né? Hoje em dia ninguém dribla mais. O futebol de hoje é muito automático, só tem passe. O Centurión fez uma boa partida. É o tipo de atleta que rende bem em jogo e não em treino. Claro que temos que ter calma, até porque nos entusiasmamos com o que ele havia feito contra o Bragantino e depois ele oscilou. Mas ele foi bem e, aqui, é assim: vai ganhar espaço”, garantiu Muricy.

<p>Argentino é tímido, mas vai ganhar espaço depois da atuação no clássico</p>
Argentino é tímido, mas vai ganhar espaço depois da atuação no clássico
Foto: Marcos Bezerra / Futura Press

O detalhe, contudo, é que o treinador não pretende escalar o argentino no lugar de Alexandre Pato, flutuando nas costas dos volantes adversários. E sim pelo lado esquerdo. Assim, quem pode perder vaga no time titular é Luís Fabiano, que ainda não teve grande atuação nesta temporada. A equipe teria Denílson e Souza como volantes, Paulo Henrique Ganso no meio, Michel Bastos aberto pela direita, Centurión pela esquerda, e Pato como centroavante.

Foi este 4-2-3-1 (mas com Luís Fabiano no lugar de Pato) que jogou neste domingo contra o Corinthians e que “aliviou” Muricy Ramalho, como ele mesmo disse. O time conseguiu ter lampejos da tão falada “profundidade” que era desejada pelo técnico e o deixou satisfeito no comparativo com o desempenho são-paulino na estreia da Libertadores. “Pelo menos fizemos o Cássio trabalhar. Lá (em Itaquera), ele não trabalhou. Aqui (Morumbi), pegou até pênalti”, disse Muricy.

Muito disto graças a Centurión. O atleta, por sinal, ganhou tanta moral depois do clássico deste domingo que viu o empresário Vinicius Pinotti, torcedor do São Paulo e responsável por trazê-lo ao Brasil do Racing, prometer outros reforços para jogar “em sua volta” - em postagem nas redes sociais.

Foto: Twitter / Reprodução

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade