0

Em clássico quente, Avaí se supera e arranca empate contra o Figueirense

11 mar 2018
19h08
atualizado às 19h19
  • separator
  • comentários

Neste domingo, o Figueirense recebeu o Avaí, no Orlando Scarpelli, pela 13ª rodada do Campeonato Catarinense. Os mandantes, aproveitando o apoio de seus torcedores, começaram em cima e tiveram um gol anulado e uma bola na trave antes dos quinze minutos. No lance seguinte, Jorge Henrique arriscou de muito longe e acertou o ângulo de Aranha, abrindo o placar. Ainda no primeiro tempo, Luanzinho agrediu Betinho e foi expulso direto, a decisão deixou todos os jogadores do Avaí indignados. A partir desse momento, começou uma confusão que paralisou o jogo por sete minutos e resultou na expulsão de ambos os técnicos. Com um jogador a mais durante toda a segunda etapa, o Figueirense não conseguiu transformar as oportunidades em gol e levou o castigo nos acréscimos. Em cobrança de escanteio, Zé Antônio marcou contra.

Com o resultado, o Figueira se manteve na segunda colocação com 27 pontos, três a menos que a líder Chapecoense. Já o Avaí segue na terceira colocação com 21 pontos e precisa tirar a diferença de seis pontos para o rival se quiser chegar à final do Catarinense, já que os dois primeiros colocados da primeira fase fazem a decisão.

O Figueirense volta aos gramados para enfrentar o Atlético-MG, na próxima quarta-feira, às 21h45, no Independência, pela partida de volta da terceira fase da Copa do Brasil. A ida foi 1 a 0 para a equipe mineira. Já o Avaí joga contra o Fluminense, na Ressacada, pela mesma competição, mas na quinta-feira e às 21h30. A primeira partida foi 2 a 1 para a equipe catarinense.

O jogo

O Figueirense começou a partida em cima do Avaí e logo no primeiro minuto carimbou a trave. Jorge Henrique cobrou falta na área e o artilheiro André Luís cabeceou no poste de Aranha. A resposta do Avaí veio cinco minutos depois e na mesma moeda. Também em bola parada, André Moritz cobrou escanteio e Maurinho, livre, cabeceou para fora.

Aos 11, em lateral cobrado na área, André Luís ganhou de cabeça e marcou para a equipe alvinegra, porém, o árbitro assinalou falta do atacante em Betão e anulou o tento. Dez minutos depois, Jorge Henrique arriscou de muito longe e acertou a gaveta de Aranha: 1 a 0 para o Figueirense.

No lance seguinte, Luanzinho protegeu a bola e Betinho chegou chutando tudo que viu pela frente. No choque, o atacante do Avaí deixou a mão no rosto do adversário e o juiz deu cartão vermelho direto. Indignados, os jogadores avaianos, tanto reservas como titulares, foram para cima do árbitro. Começou uma confusão que paralisou a partida por sete minutos e culminou na expulsão dos dois treinadores: Milton Cruz e Claudinei Oliveira.

Com um a mais, o Figueira começou a administrar e tocar a bola. Apenas no final da primeira etapa a equipe alvinegra chegou de novo. André Luís saiu na cara do goleiro após passe de cabeça, mas bateu por cima. Dois minutos depois, já nos acréscimos, foi a vez de Guilherme Lazaroni limpar a marcação e finalizar para fora.

O segundo tempo começou morno. Com um a menos, o Avaí jogava no erro do adversário, que aconteceu aos 13 minutos. A defesa do Figueirense bateu cabeça e a bola sobrou para Romulo, o atacante bateu cruzado de canhota e a bola caprichosamente passou rente a trave.

Aos 21, Ferrareis recebeu na ponta esquerda ofensiva, tirou a marcação e, na saída do goleiro, bateu para fora. O Figueirense criou outra boa oportunidade nove minutos depois. Diego Renan pegou a sobra da zaga e largou um balaço sobre o gol de Aranha.

Apesar de jogar toda a segunda etapa com um jogador a mais, os mandantes não conseguiram criar tantas oportunidades de gol e tomaram o castigo nos acréscimos. Em cobrança de escanteio do veterano Marquinhos, Zé Antônio desviou para o próprio gol e marcou contra.

Confira o resultado da outra partida das 17h, deste domingo, do Catarinense: 

Concórdia 1×1 Brusque

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade