2 eventos ao vivo

Herói do Fla, pentacampeão mira volta à Seleção

4 mai 2009
11h13

Com três pênaltis defendidos, um no tempo normal e dois na decisão, Bruno foi o herói do título carioca do Flamengo. Mas seus feitos só foram possíveis graças aos dois gols que Kléberson marcou no primeiro tempo contra o Botafogo, abrindo o placar que terminou empatado por 2 a 2. Atuação que faz o meia sonhar alto, inclusive em voltar à Seleção Brasileira.

» Veja as fotos da festa do Flamengo
» Veja as fotos de Flamengo e Botafogo
» Nos pênaltis, Fla bate freguês Botafogo
» Veja o elenco do tricampeão
» Baixe o pôster do campeão Flamengo
» Baixe o hino do Flamengo
» Envie um cartão do tricampeão carioca
» Comente o título do Flamengo

O meia, titular de Luiz Felipe Scolari nos três últimos jogos da campanha do pentacampeonato mundial em 2002, vive atualmente sua melhor fase desde a chegada na Gávea, no fim de 2007. Liberado para atuar apenas no início do ano passado por problemas com o Besiktas, seu ex-clube na Turquia, o jogador de 29 anos finalmente se vê firme no time rubro-negro.

"Estou muito feliz com essa conquista. É o que mais queria nessa vida, pode marcar gols, fazer história no Flamengo. Tive uma atuação boa em um momento importante, apareci quando o time mais precisava. Graças a Deus, pude contribuir com a minha experiência em campo", comemorou, querendo chamar a atenção de Dunga. "Seleção Brasileira é sempre um objetivo."

Se realmente voltar a vestir a camisa verde-amarela, o camisa 15, acompanhado de perto por Jorginho, auxiliar da CBF que esteve no Maracanã nesse domingo, concluirá uma retomada na carreira que lhe custou muita paciência.

Após o sucesso nos campos do Japão e da Coréia do Sul defendendo o Brasil, o armador trocou o Atlético-PR pelo Manchester United, onde não rendeu o esperado e foi parar na Turquia antes de desembarcar no Rio de Janeiro.

"Quando cheguei no Flamengo, o time estava bem naquela reta final do Brasil, ganhou vários jogos seguidos e eu não podia jogar. Quando tive condição, o grupo estava muito forte e o time era aquele, estava fechado. Tinha que esperar por uma oportunidade", relembrou, orgulhoso.

"Foi tudo acontecendo devagar. Tive a confiança de todos os treinadores que passaram por aqui, o Joel Santana, o Caio Júnior e agora o Cuca. Às vezes eu mesmo não correspondia. Mas, apesar de ser um pouquinho tarde, estou muito feliz. Me sinto bastante realizado", celebrou.

Na festa coletiva e particular, Kléberson nem se incomoda no caso do seu primeiro gol na decisão ser dado para Ronaldo Angelim, que desviou para as redes poucos depois de a bola ultrapassar a linha do gol.

"Acho que o gol foi meu, mas isso não importa", minimizou, comentando com mais certeza seu segundo tento, quando contou com desvio do botafoguense Alessandro. "Fui feliz. Fui bem na bola e fui premiado com o gol", sorriu.

Kléberson marcou dois gols em decisão e quer voltar à Seleção
Kléberson marcou dois gols em decisão e quer voltar à Seleção
Foto: Gazeta Press
Fonte: Gazeta Press
publicidade