PUBLICIDADE

Endrick volta ao sub-17 do Palmeiras para erguer 13ª taça antes de assinar contrato profissional

Jovem goleador é arma do time alviverde diante do Vasco na final da Copa do Brasil; atacante assina vínculo profissional em 21 de julho

24 jun 2022 - 20h10
(atualizado às 20h10)
Ver comentários
Publicidade

Palmeiras e Vasco decidem a Copa do Brasil sub-17, no domingo, às 11h, em São Januário, com as principais atenções voltadas para Endrick. O fenômeno da base palmeirense anotou duas vezes na partida de ida e foi decisivo para a goleada por 4 a 1 que deixou o time paulista em situação confortável para erguer mais um troféu.

Aos 15 anos, Endrick vive uma temporada apoteótica e é dono de façanhas incomuns para a sua idade. É o único jogador na história a balançar as redes em jogos finais do Paulista sub-15, sub-17 e sub-20. Neste ano, ajudou o Palmeiras a conquistar o título da Copinha, inédito para o clube, sendo protagonista com lances geniais.

Em abril, foi decisivo para a seleção brasileira sub-17 ser campeã do Torneio de Montaigu sobre a Argentina. Logo estampou a capa do diário espanhol Marca e disse ter muito carinho pelo Real Madrid.

Endrick ostenta 80 gols em 109 jogos oficiais na base palmeirense, desde o sub-13. O canhoto forte, habilidoso e letal perto do gol está no Palmeiras desde 2016, quando tinha 10 anos e se mudou com a família de Brasília para a capital paulista. O clube deu emprego para o pai, Douglas Sousa. Ele chegou a vender café no terminal rodoviário da Barra Funda e fez parte da equipe de limpeza do Palmeiras nos primeiros anos de seu filho no time.

Foi um desejo do jovem goleador jogar a Copa do Brasil sub-17. Ele estava atuando pelo sub-20, mas quis descer um degrau porque viu uma oportunidade de ajudar os colegas e levantar mais uma taça. Foi uma opção acertada, já que o atacante soma seis gols marcados em cinco jogos na categoria.

Endrick é precoce em vários aspectos. O garoto impressiona pela técnica apurada, o faro de gol, a inteligência tática, a força física fora do comum para um jovem de 15 anos e também o preparo mental. Embora assombre o futebol mundial, ao Estadão, recentemente, o atleta avisou que não está satisfeito e busca evoluir. Quer ser um atacante completo e dispensa o rótulo de popstar que pode lhe atrapalhar.

"Em termos de precocidade é o mais talentoso com o qual já trabalhei. Pelos números, pelo que faz e pelas conquista", disse o coordenador das categorias de base do Palmeiras, João Paulo Sampaio, ao Estadão, ainda em janeiro.

O Palmeiras já encaminhou um contrato com Endrick, que ele assinará daqui menos de um mês. Como o garoto ainda tem 15 anos, está vedada qualquer assinatura de vínculo profissional. A partir de 21 de julho, quando completar 16 anos, o contrato até julho de 2025 poderá ser confirmado. O acordo prevê uma multa de 60 milhões de euros (R$ 327 milhões).

Para não atrapalhar o desenvolvimento de Endrick, o clube trabalha com cautela quanto à sua utilização no time principal. A decisão de usá-lo ou não será, claro, da comissão técnica liderada por Abel Ferreira. O português já sinalizou que terá cuidado com a joia palmeirense e recomendou, no início do ano, que o garoto fosse conhecer a Disney.

O Estadão apurou que, assinado o contrato, as comissões técnicas e os diretores da base e do profissional, João Paulo Sampaio e Anderson Barros, respectivamente, vão sentar e traçar o planejamento em relação ao atleta para os próximos meses. Se não for aproveitado no profissional de início, o garoto retorna para o time sub-20.

"Minha cabeça está tranquila, estou pensando aqui na base, se o Abel me chamar, minha cabeça vai para o profissional", disse o atacante. "Se o Abel me chamar vou dar 110% nos treinos, se ele puder me colocar, quero jogar bem para cair nas graças do professor, dos companheiros e da torcida".

Vasco

Do outro lado do confronto, Rayan, também de 15 anos, começa a ver seu nome surgir. Ele era dúvida para a primeira partida já que se recuperava de um trauma no pé e ficara fora das disputas das semifinais, mas conseguiu atuar ao entrar no primeiro tempo. Não teve tanto brilho, contudo.

O garoto de 15 anos também não assinou contrato profissional ainda e, segundo a imprensa espanhola, já é observado pelo Barcelona. A promessa mostrou grandes jogadas na campanha do time na Copa São Paulo deste ano e na Copa do Brasil sub-17.

Até chegar à decisão, o Vasco eliminou Progresso-RS, Internacional, Fluminense e Bahia nas oitavas, quartas e semifinais. Foram seis vitórias e apenas uma derrota, além da ótima marca de 25 gols marcados em apenas sete partidas. A equipe conta com alguns destaques além de Rayan, como o meia Estrella e o lateral-direito Paulinho.

Artilheiro do time, o atacante GB destacou a postura do Vasco dentro e fora de casa para explicar a boa campanha na competição. "Temos um grupo muito qualificado e entrosado, que joga junto há muito tempo. Não importa se estamos dentro ou fora de casa, tentamos implementar o nosso jogo, nos impondo. É uma equipe que, na grande maioria, joga junta desde as categorias menores, como Sub-9, Sub-10. São dois jogadores (Rayan e Endrick) muito comentados, mas temos outros nomes de muita qualidade dos dois lados".

A missão, porém, é inglória. A equipe carioca tem de vencer por quatro gols de diferença para erguer a taça em casa, que seria inédita no atual formato. O Palmeiras tem dois títulos da competição, conquistados em 2017 e 2019, e pode se tornar o maior vencedor do torneio, superando São Paulo e Flamengo

Estadão
Publicidade
Publicidade