0

Em má fase, Santos tenta abrir vantagem contra sensação Red Bull

No Pacaembu, equipe de Jorge Sampaoli faz o primeiro jogo das quartas de final do Paulista

23 mar 2019
04h41
  • separator
  • 0
  • comentários

Em seu pior momento na temporada, o Santos dá largada neste sábado, às 19h30, ao mais importante desafio no Campeonato Paulista: o mata-mata. No estádio do Pacaembu, o time vai receber o Red Bull Brasil, a sensação da primeira fase da competição, para tentar abrir vantagem no confronto válido pelas quartas de final.

O time de Campinas, aliás, roubou do Santos a melhor campanha do Paulistão ao somar 27 pontos e liderar o Grupo A, que também contava com o clube da Vila Belmiro, assegurando a vantagem do mando de campo, no duelo que foi marcado para a próxima terça-feira, no Moisés Lucarelli.

Isso também foi possível pela queda de rendimento do Santos nas rodadas finais, tanto que o time não marcou sequer um gol nos últimos três compromissos no Paulistão, só fazendo um ponto e ainda sofrendo uma dura derrota, de 3 a 0, para o Botafogo, em Ribeirão Preto, na última quarta-feira. Assim, ficou com 23 pontos, em segundo lugar na sua chave e em terceiro na classificação geral, também sendo ultrapassado pelo Palmeiras.

Para piorar o cenário, a sequência negativa do Santos se deu no mesmo período em que a diretoria deixou de pagar os salários de fevereiro do elenco, o que, inclusive, provocou críticas públicas do técnico Jorge Sampaoli aos dirigentes e ainda um desabafo do capitão Victor Ferraz contra comentários que ligaram a queda de rendimento do time a uma suposta falta de comprometimento do elenco por causa dos atrasos.

"Não gostaria de receber até amanhã (sábado), independentemente de a gente ganhar ou não. Podermos vencer sem receber os salários. Uma coisa que eu não sou é mercenário", afirmou o capitão santista.

Assim, o Santos entrará em campo pressionado para a acabar com o princípio de crise e também com a intenção de vencer para não correr o risco de ser eliminado precocemente no Paulistão, o que seria o seu segundo fracasso em 2019, pois caiu logo na primeira fase da Copa Sul-Americana. Mas Sampaoli segue com problemas para escalar o Santos.

Os principais são provocados pelas seleções nacionais, pois Cueva, Soteldo e Derlis González foram convocados para defender Peru, Venezuela e Paraguai, respectivamente, nas Datas Fifa de março. Além disso, Lucas Veríssimo foi expulso na derrota para o Botafogo em Ribeirão Preto e cumprirá suspensão automática.

Ao menos o volante Alison se recuperou de um corte no pé e está de volta ao Santos. Isso, inclusive, fará Sampaoli deixar de lado o esquema de três zagueiros, usado na derrota por goleada de quarta-feira. O meio-campo, então, contará com mais dois volantes - Diego Pituca e Jean Lucas. E Rodrygo será o jogador mais avançado no setor ofensivo.

"Temos de nos blindar para amanhã e terça, sei que a torcida estará em Campinas também. Blindar é uma palavra correta, e o Sampaoli é especialista nisso. O que dá para se falar é que amanhã vocês verão a melhor versão do Santos", prometeu Victor Ferraz.

Com um planejamento de longo prazo e objetivos audaciosos no futebol brasileiro, o Red Bull Brasil finalmente conseguiu uma campanha expressiva no Paulistão. Depois de cinco temporadas consecutivas na elite, o clube conquistou a melhor campanha da primeira fase em 2019.

O Red Bull Brasil vem de dez jogos consecutivos sem derrota, com oito vitórias e dois empates, além de ter o melhor ataque da competição, com 19 gols marcados. E a última vez que um time do Interior liderou a primeira fase foi em 2008, com o Guaratinguetá. Desde então, os grandes sempre sobraram na competição.

Para o técnico Antonio Carlos Zago "a campanha se deve ao trabalho do grupo, não só dos jogadores, mas de todo mundo que dá suporte, que está no dia a dia. Além de toda essa tranquilidade que a gente tem para trabalhar. Então agora é dar seguimento e concentrar mais forças".

Neste sábado, o time confia no seu retrospecto contra os grandes: empatou contra Palmeiras, por 1 a 1, e São Paulo, em 0 a 0, e ainda bateu o Corinthians por 2 a 0, fora de casa. Além disso, tem a seu favor o fato de fazer a decisão contra o Santos no Moisés Lucarelli, onde não perdeu nenhum jogo.

Para Zago, será necessário redobrar a atenção neste sábado. "O Santos é uma equipe que é a sensação do ano, então vamos enfrentar do jeito que a gente enfrentou as outras equipes. É claro que em uma quartas de final a gente precisa ter uma concentração a mais, até porque são jogos eliminatórios, você não pode errar, não pode dar brecha para que o adversário cresça", disse o treinador, que não confirmou a escalação, com Jobson e Barreto brigando por uma vaga no meio-campo.

Se passar pelo Santos, o Red Bull vai assegurar uma vaga na Série D do Campeonato Brasileiro de 2020. Mas a direção geral do clube, na Áustria, já autorizou a direção do País a tentar negociar uma vaga na Série B. Seria um caminho mais rápido e mais barato pra chegar à elite nacional.

Algumas negociações aconteceram desde o final do ano passado, porem, de forma sigilosa. Bragantino e Oeste foram consultados à respeito, mas nada foi definido. O Bragantino está praticamente descartado, uma vez que numa eventual fusão, ele perderia seu nome.

Um acordo com o Oeste ainda está em pauta. O Red Bull também já manifestou o desejo de atuar em Jundiaí, reconhecendo que a escolha por Campinas foi um grande erro estratégico pela existência de dois clubes centenários e rivais: Guarani e Ponte Preta.

FICHA TÉCNICA

SANTOS X RED BULL BRASIL

SANTOS - Vanderlei; Victor Ferraz, Felipe Aguilar, Gustavo Henrique e Felipe Jonatan; Alison, Diego Pituca, Jean Lucas, Carlos Sánchez e Jean Mota; Rodrygo. Técnico: Jorge Sampaoli.

RED BULL BRASIL - Júlio César; Aderlan, Léo Ortiz, Ligger e Rafael Carioca; Jobson, Uillian Correia e Bruno Tubarão; Claudinho, Ytalo e Roberson. Técnico: Antônio Carlos Zago.

HORÁRIO - 19h30.

ÁRBITRO - Douglas Marques das Flores.

LOCAL - Estádio do Pacaembu, em São Paulo.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade