0

Dorival não descarta três zagueiros e pensa São Paulo sem Hernanes

17 jan 2018
13h03
atualizado às 13h03
  • separator
  • comentários

Principal nome do São Paulo na temporada de 2017, Hernanes precisou voltar para o futebol chinês após o Hebei Fortune ter requisitado o retorno do meio-campista. Sem seu melhor jogador, Dorival Júnior projetou uma mudança no estilo de jogo do Tricolor e ainda considerou improvável que um substituto à altura seja encontrado.

"Precisamos ter calma e ver o time em campo. O Hernanes passava confiança e dava confiança à equipe. Ele deixava o time confortável. A partir da saída dele, temos de readequar a equipe. Chegaram o Diego (Souza) e o Cueva, que se apresentou mais tarde. Eles terão mais um tempo de trabalho para buscarem as melhores condições, assim como o Anderson (Martins). Espero que o time tenha padrão de jogo o mais rápido possível. Trazemos coisas do último ano, mas só em campo confirmaremos o resultado disso", declarou o comandante do time do Morumbi.

"Em razão do que o Hernanes produzia é muito difícil achar um substituto. Dificilmente encontraríamos neste momento no mercado com tão pouco tempo um substituto à altura. Temos de buscar uma nova concepção de equipe. Mudamos um pouco, um meio de campo com trabalho de bola, infiltrações por dentro, posse de bola, mas faltavam as penetrações finais. Foi tudo o que procuramos trabalhar ao longo dessa temporada. Essas movimentações, troca de posições, para ganhar nesse sentido. Substituto? Um jogador com outra característica, que mude a forma de o time jogar", completou.

Além disso, Dorival Júnior não descartou utilizar três zagueiros, formação que trouxe muito sucesso ao São Paulo entre 2006 e 2008, quando o Tricolor conquistou três vezes consecutivas o Campeonato Brasileiro. A princípio, se essa tática voltar a ser utilizada, a defesa seria formada por Rodrigo Caio, Aderllan e Anderson Martins.

"Não descarto essa possibilidade. Tenho laterais de apoio, que podem chegar com um pouco mais de facilidade e serem jogadores de transição, que possam executar funções pelas pontas e por dentro. Pode acontecer em algum momento, mas vamos esperar a recuperação do Arboleda, que ainda não treinou".

* Especial para a Gazeta Esportiva

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade