0

Diniz reclama de arbitragem e pede para ser avaliado por desempenho

14 jun 2018
00h20
  • separator
  • comentários

A derrota o Atlético Paranaense por 2 a 0 diante do Botafogo, no Engenhão, marcou o quarto resultado negativo seguido do Furacão dentro do Campeonato Brasileiro 2018, acumulando apenas uma vitória nas últimas 14 partidas do Rubro-Negro. O técnico Fernando Diniz, que mesmo com a sequência de quatro derrotas e com apenas uma vitória nos últimos 14 jogos segue bancado pela diretoria rubro-negra, acredita que o confronto era equilibrado, até o momento do pênalti polêmico marcado pela arbitragem.

"A gente estava fazendo um jogo equilibrado, dentro das nossas características, e o Botafogo em espera para contra-atacar. Aí o árbitro deu um pênalti que não existiu. Bola colada no corpo e o cara deu um pênalti. E não é o primeiro. E acabou determinando boa parte do jogo", disse o treinador, que viu o esquema desmoronar após o segundo gol. "Tomamos o gol de bola parada e o time se descoordenou e cedeu até contra-ataques para o Botafogo ampliar. A equipe teve um volume interessante e merecia até empatar quando tomou o segundo gol", completou.

Questionado sobre o que pode mudar para a sequência da temporada após a pausa pra a Copa, o comandante atleticano aposta nos treinos e na volta do time que começou bem o primeiro semestre. "Uma das coisas é treinar. A proposta de ser um time ofensivo, com controle da bola, empurramos os times para trás e penetração na área é uma coisa mais difícil. Era uma característica do nosso time ter penetrações pelos lados e chutes de média distancia. É treino, inspiração do jogadores, e a criatividade, em um momento de queda de confiança, essa fica comprometida. Com a parada na Copa, vamos tentar melhorar nesse aspecto", projetou.

Mostrando irritação ao ser cobrado pelos resultados negativos, Diniz pediu para ser avaliado pelo desempenho do time e mantém a convicção sobre suas escolhas. "Ninguém faz nada para empatar ou perder. Tenho convicção, não tenho menos convicção porque perde o jogo. Como controlo um erro grosseiro do juiz? Como controlo as inúmeras chances que a gente perdeu diante do Atlético-MG ou falta de sorte que tivemos diante do Cruzeiro? Ou aos 30 segundos, diante do Sport, o cara chutar do meio-campo e fazer o gol? Não podemos fazer analise só de resultado. Não é a gente achar que é mudando ou fazendo comentários superficiais sobre resultado que funciona, eu acho que não", concluiu.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade