0

Dupla brasileira chega com moral e busca protagonismo no Campeonato Inglês

Joelinton, do Newcastle, e Wesley Moraes, do Aston Villa, chegam à Inglaterra com o status de mais caros da história de suas equipes

8 ago 2019
04h42
atualizado às 08h45
  • separator
  • 0
  • comentários

Esqueça nomes já carimbados como Roberto Firmino, Gabriel Jesus e Richarlison. A temporada 2019-2020 da Premier League, primeira divisão do Campeonato Inglês, começa com outros brasileiros buscando protagonismo naquela que é considera por muitos a liga nacional mais forte do mundo: Joelinton, no Newcastle, e Wesley Moraes, no Aston Villa. A dupla agitou o mercado de transferências no velho continente e chega à Inglaterra com o rótulo e a pressão de serem as maiores contratações de suas respectivas equipes.

Enquanto vive uma indefinição sobre sua venda fora de campo - o atual proprietário Mike Ashley pede 350 milhões de libras (R$ 1,78 bilhão) pela equipe - o Newcastle surpreendeu ao pagar 40 milhões de libras (R$ 183,5 milhões) para tirar Joelinton do Hoffenheim. Revelado pelo Sport, o atacante deixou o Brasil com apenas 18 anos para se aventurar na Alemanha. A inexperiência e a língua fizeram ele atuar apenas uma partida em sua temporada de estreia na Europa antes de ser emprestado ao Rapid Viena, da Áustria.

"A principal dificuldade no início foi a língua. O alemão é muito difícil, mesmo eu tendo um tradutor. Dentro de campo é complicado, você não consegue se comunicar com seus companheiros. Isso atrapalhava muito. Mas agora, na vinda para a Inglaterra, eu me sinto mais preparado. Estou muito mais experiente. Já joguei Liga dos Campeões, Liga Europa e fiz boa temporada no Campeonato Alemão. Hoje estou muito mais preparado do que quando cheguei na Europa quatro anos atrás", disse o atacante em conversa com o Estado.

Pernambucano, natural de Aliança, Joelinton está agora aprendendo conviver com as várias comparações na chegada ao novo campeonato. Alguns dizem que ele é o novo Alan Shearer, ícone do Newcastle e dono da camisa 9, que será usada pelo brasileiro. Outros falam em novo Roberto Firmino. O atacante do Liverpool também teve uma passagem marcante pelo Hoffenheim antes virar referência e ganhar espaço na seleção brasileira. Trajetória que Joelinton espera repetir.

"Não é fácil chegar na seleção. Acabei de chegar aqui, estamos fazendo uma pré-temporada muito dura. Ainda falta muita coisa. Sei que estou mais perto agora, porque estou na liga mais forte do mundo, mas tudo vai depender do meu rendimento dentro de campo. Se eu fizer uma boa temporada pode aparecer uma oportunidade."

PRESSÃO PELOS VALORES

Os valores envolvidos em sua negociação são encarados com naturalidade por Joelinton. Ele sabe que será cobrado pelas altas cifras, mas entende que o valor foi pago porque o clube confia em seu potencial. "Ser a maior contratação do clube me coloca como referência. Isso tem um peso e uma responsabilidade muito grande. Claro que quando eu entrar em campo vai ter pressão. Mas estou tranquilo e motivado por estar aqui. Sei das minhas responsabilidades e estou feliz pela confiança do clube e espero retribuir dentro de campo", explica.

Chegar com a pressão de ser o mais caro da história de um time também será o desafio de Wesley Moraes, de 22 anos. Sem nunca ter jogador profissionalmente no Brasil, o mineiro, de Juiz de Fora, passou três temporadas no Club Brugge, onde ganhou uma vez o prêmio de melhor jovem do Campeonato Belga. Antes, ainda defendeu o Trencín, da Eslováquia. Este currículo fez o Aston Villa pagar 22 milhões de libras (R$ 105 milhões) em sua aquisição.

"Estou muito feliz desde quando soube que o Aston Villa estava interessado em mim. É um recorde e espero corresponder em campo. Joguei no Club Brugge por três anos e meio e deixei muito amigos lá. Mas agora estou em um clube novo. Espero fazer novas amizades e mostrar em campo o que posso fazer", disse o atacante em sua apresentação. O brasileiro também vibrou pela visibilidade que terá em uma grande liga. "Vai ser mais fácil para meus familiares assistirem aos meus jogos agora."

A equipe recém-promovida também contratou outro brasileiro: Douglas Luiz. O meia de 21 anos pertencia ao Manchester City, mas passou as últimas duas temporadas emprestado ao Girona, da Espanha, esperando a regularização do visto de trabalho para poder atuar na Inglaterra.

MUDANÇAS NAS REGRAS E OS MESMOS FAVORITOS

A Premier League será a última das grandes competições a implantar o árbitro de vídeo (VAR, na sigla em inglês) em suas partidas. Apesar de ter sido um dos primeiros países a usar a tecnologia da linha do gol em 2013, existia uma grande resistência em relação ao uso do VAR, principalmente depois dos vários problemas registrados nos testes realizados na última temporada, em jogos da Copa da Liga Inglesa. Uma das maiores reclamações veio por parte do público nos estádios, que não é informado sobre a irregularidade que está sendo analisada pela equipe de arbitragem e tem a experiência durante o jogo prejudicada.

Outra novidade para a atual edição da competição foi a janela de transferência mais curta. Clubes e Liga optaram por antecipar a data de encerramento da inscrições de atletas para o dia 8 de agosto, um dia antes da primeira rodada. Os outros torneios na Europa, como Itália, França e Espanha podem contratar até o dia 2 de setembro. Assim, as equipes inglesas correm o risco de perder peças para clubes estrangeiros e não vão poder fazer reposição.

Os principais favoritos ao título pouco se movimentaram. O atual campeão Manchester City teve como principal compra o volante Rodri (61 milhões de libras - R$ 305 milhões), que estava no Atlético de Madrid. Já o Liverpool adquiriu apenas jovens jogadores, que nem devem atuar neste primeiro momento.

Quem está tentado retomar o protagonismo é o Arsenal, que agora tem o brasileiro Edu como diretor técnico. Os londrinos abriram os cofres e também fizeram a maior compra de sua história, o atacante marfinense Nicolas Pepe (72 milhões de libras - R$ 335,5 milhões), que estava no Lille, da França. Outro reforço foi Gabriel Martinelli, destaque do Paulistão pelo Ituano. O Manchester United também se movimentou, principalmente na defesa, contratando o lateral Bissaka e o zagueiro Maguire (85 milhões de libras - R$ 400 milhões).

No Tottenham, o presidente Daniel Levy mudou um pouco sua postura e investiu. Depois de ficar duas janelas sem acrescentar um novo jogador ao grupo, trouxe o volante Ndombélé (65 milhões de libras - R$ 260 milhões), do Lyon. Já outro tradicional postulante ao título, o Chelsea está punido pela Uefa e está proibido de contratar. Assim, a equipe aposta suas fichas em Frank Lampard, que assume o comando técnico, e em atletas de sua base que estavam emprestados.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade