PUBLICIDADE

Crespo lamenta 5 a 1 e diz que seu time poderia ter vencido: 'Não retrata o jogo'

Técnico também comenta confusão entre os bancos de reservas e culpa médico do Flamengo

25 jul 2021 20h19
| atualizado às 20h19
ver comentários
Publicidade

A goleada sofrida pelo São Paulo para o Flamengo por 5 a 1, de virada, neste domingo, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, foi um duro golpe para o técnico Hernán Crespo pelo que aconteceu dentro de campo. Para o argentino, o resultado final não representa o que foi a partida pela 13.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

"O resultado é maior e não retrata o que foi o jogo. Tem que parabenizar o Flamengo e o Renato (Gaúcho). O placar foi muito maior do que foi o jogo. Acredito que melhoramos em alguns aspectos e tivemos a chance de ganhar ou empatar. Aconteceram situações no jogo, como o Bruno Henrique surpreendendo", afirmou Crespo, falando do atacante flamenguista que marcou três gols.

O treinador do São Paulo também falou sobre a falta de atenção de sua equipe na reta final do jogo. Foi neste período em que o Flamengo construiu o elástico placar. "É uma coisa que me preocupa e que também é circunstância do jogo porque passamos à frente no placar com uma bola parada, mas tivemos uma pequena distração. Quando você tem uma pequena distração contra grandes adversários, o preço sai muito caro. Depois, é futebol. O jogo era muito equilibrado, mas Bruno Henrique fez um grande gol. Tentamos continuar, tivemos alguma outra chance, mas eles foram muito completos", prosseguiu.

O argentino comentou sobre a confusão causada entre integrantes dos bancos de reservas de Flamengo e São Paulo no segundo tempo. O preparador físico do time paulista, Alejandro Kohan, ficou irritado com uma provocação após o terceiro gol da equipe carioca e foi expulso. Márcio Tannure, médico rubro-negro, também levou o cartão vermelho.

"A situação foi simples. Na vida, como no jogo, uns sabem perder e outros ganhar. Infelizmente o Flamengo tem o profissional Márcio Tannure, que faltou com respeito ao meu banco, com palavras e gestos. Acredito que Renato e seus atletas são grande como o Flamengo e temos que parabenizar. Infelizmente, dentro do Flamengo tem um profissional, um médico, que tinha que dar um exemplo e fez tudo isso. Provocou, e a reação foi essa. Não só falando, mas fisicamente", criticou Crespo.

"Infelizmente, estamos no mundo do futebol e temos que suportar. Espero que um clube grande como o Flamengo e a confederação (CBF) não aceite ter gente mal-educada trabalhando no futebol", completou o treinador argentino.

Estadão
Publicidade
Publicidade