0

Coutinho e Paquetá revelam alívio por fim de jejum e pressão sobre a seleção

Jogadores admitem que se sentiam pressionados pela falta de bons resultados após a Copa América

19 nov 2019
13h32
  • separator
  • 0
  • comentários

A seleção brasileira encerrou nesta terça-feira um jejum de cinco anos sem marcar um gol de falta na vitória do Brasil por 3 a 0 sobre a Coreia do Sul, no estádio Mohammed Bin Zayed, em Abu Dabi. O autor do gol foi o meia Philippe Coutinho, aos 35 minutos do primeiro tempo - a cobrança acertou em cheio o ângulo direito do goleiro sul-coreano. Foram 72 jogos sem um gol de falta da equipe nacional.

O último gol de falta anotado pela seleção havia sido de Neymar, em amistoso contra a Colômbia no dia 5 de agosto de 2014, logo após a Copa do Mundo realizada no Brasil. O gol garantiu a vitória por 1 a 0 sobre os colombianos, em Miami, nos Estados Unidos.

Responsável pela cobrança precisa contra a Coreia do Sul, o meia do Bayern de Munique celebrou o triunfo em momento de pressão da seleção. "Ficamos felizes pela equipe ter jogado bem e merecido a vitória. A gente vem em um momento de bastante pressão, mas o resultado positivo e com boa performance é bom para começar a subir, melhorar e seguir nesse caminho", disse Philippe Coutinho em entrevista ao SporTV.

"Na palestra, o professor (Tite) falou para jogar tranquilo, esquecer a pressão que vem de fora e fazer o que estamos acostumamos nos clubes. Todo mundo esqueceu um pouco o lado de fora e fizemos o que tínhamos que fazer, com foco na busca pela vitória. Jogamos para frente", prosseguiu.

O confronto contra a Coreia do Sul foi o último jogo da seleção nesta temporada. Assim, o time volta a se reunir apenas em março de 2020 para o início das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2022. "A vitória é sempre boa e traz muita coisa positiva. Então, devemos desfrutar desse momento, aproveitar que o time jogou bem. Agora, tem um período longo até a próxima convocação. Cada um precisa dar o melhor no clube, porque, quando voltar, vai ser valendo", avisou Coutinho.

Autor do primeiro gol da vitória brasileira, o meia Lucas Paquetá revelou que estava mais aliviado por ter marcado e feito um bom jogo, depois da fraca atuação na derrota para a Argentina.

"No jogo da Argentina eu particularmente me cobrei muito e perdi um pouco da confiança logo nos primeiros passes. Mas eu tive apoio do elenco e do professor. Eu sempre me cobrei muito, às vezes até em excesso. Sabia da importância do jogo (contra a Argentina), da oportunidade, mas acabei não aproveitando. Aí conversei com o Tite e ele disse: 'Não, não é que você não aproveitou, você levou como amadurecimento'. Hoje (terça-feira) eu tive a chance de fazer um bom jogo", comemorou o jogador do Milan, em entrevista à TV Globo ainda no gramado.

Na comemoração de seu gol, Lucas Paquetá homenageou o filho Benício, que está para nascer. O jogador revelou ansiedade por marcar e declarou apoio ao Flamengo, na decisão da Copa Libertadores contra o River Plate, no melhor estilo torcedor rubro-negro. "Mengão na veia! 'Tamo' junto. E sim, estava ansioso para esse gol sair no Milan, acabou que saiu aqui. Dedico à ele. Que venha com muita saúde, estamos muito felizes", completou.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade