PUBLICIDADE

Corinthians bate o Santos, conquista sétima vitória seguida em casa, quebra marca de Carille e está no G4

Alvinegro vence por 2 a 0, com gols de Jô e Gabriel, assume a quarta posição do Brasileirão e supera marca de triunfos consecutivos obtida pelo seu ex-técnico na campanha de 2017

21 nov 2021 18h17
| atualizado às 19h45
ver comentários
Publicidade

Com uma atuação convincente e dominante durante todo o jogo, o Corinthians venceu o Santos por 2 a 0, na tarde deste domingo, na Neo Química Arena, e conquistou a sua sétima vitória seguida como mandante neste Campeonato Brasileiro. O resultado fez a equipe assumir a quarta posição do torneio, com 53 pontos, e passar a fechar o G4, a zona de classificação à fase de grupos da Libertadores. Já o Peixe estacionou nos 42 pontos e ocupa apenas o 11º lugar.

Jô festeja seu gol no clássico: nome do jogo, com uma bola na rede e uma assistência (Rodrigo Coca/Ag. Corinthians)
Jô festeja seu gol no clássico: nome do jogo, com uma bola na rede e uma assistência (Rodrigo Coca/Ag. Corinthians)
Foto: Lance!

TABELA

GALERIA

> Veja até quando vai o contrato de cada jogador do Corinthians

Para completar, o Alvinegro superou a marca de seis triunfos consecutivos que havia obtido como mandante sob o comando de Fábio Carille, atual técnico santista, na campanha do seu sétimo título nacional, obtido em 2017.

Anteriormente, o time já havia igualado o feito do seu ex-treinador com um triunfo por 3 a 2 sobre o Cuiabá, mas agora ostenta sete vitórias em sequência e voltou a dar uma demonstração da sua força em casa, onde agora também ostenta dez partidas de invencibilidade. Não perde um confronto em Itaquera desde o dia 1º de agosto, quando foi derrotado por 3 a 1 pelo Flamengo.

Em um clássico que foi iniciado depois de os jogadores dos dois times terem se ajoelhado em campo e levantarem um dos braços, em uma homenagem ao Dia da Consciência Negra, comemorado no último sábado, o Santos tentou esboçar uma pequena pressão no início, mas rapidamente o Corinthians tomou conta das ações e começou a pressionar os visitantes em Itaquera.

E diante de um adversário armado em um esquema com três zagueiros e bastante recuado, o Alvinegro veio para campo com Du Queiroz como novidade no meio-campo no lugar do lesionado Giuliano. E trocando passes rápidos e tendo Renato Augusto como principal articulador das jogadas no meio-campo, o Timão começou a desperdiçar chances de gols em sequência e o mesmo cenário prevaleceu até o término do primeiro tempo.

Foram nada menos do que 12 finalizações corintianas na etapa inicial contra apenas uma dos visitantes, que sofreram para segurar o empate até o intervalo. Apenas nos primeiros seis minutos, Gabriel Pereira e o seu xará Gabriel já obrigaram João Paulo a praticarem duas defesas.

E outras três oportunidades foram perdidas em seguida, primeiro aos 13 minutos com Roger Guedes após boa tabela com Jô, depois aos 16 com Gabriel Pereira parando em João Paulo após assistência de Renato Augusto e em seguida aos 18 com João Victor, que não soube cabecear com precisão uma boa bola escorada por Gil após uma cobrança de escanteio.

E o panorama continuava o mesmo, com o time santista sendo pressionado e sem conseguir chegar ao ataque. Assim, os anfitriões chegavam com frequência ao gol de João Paulo. E o garçom Renato Augusto não se cansava de deixar os companheiros em boas condições de marcar, mas Róger Guedes não soube aproveitar converter em gol duas assistência dada pelo meia, primeiro aos 24 minutos e depois aos 30, sendo essa última com o goleiro santista praticando bela defesa para evitar que o placar fosse aberto em Itaquera.

E nova oportunidade seria perdida aos 40 minutos depois de mais um passe de Renato Augusto em um rápido contra-ataque corintiano. Desta vez com Gabriel Pereira, que chutou forte e parou em nova intervenção de João Paulo.

E o Santos, que parecia totalmente inofensivo, acordou do "sono profundo" aos 41 minutos, quando Felipe Jonatan levou a melhor sobre Fagner em um lance pelo lado esquerdo e cruzou para Tardelli cabecear e a bola passar muito perto da trave direita de Cássio, que apenas olhou e já estava batido na jogada.

GOL NO INÍCIO DA ETAPA FINAL

Com o seu time muito retraído no primeiro tempo, o técnico Fábio Carille mandou a equipe de volta ao campo na etapa final com duas mudanças. Trocou Madson por Ângelo e Gabriel Pirani por Lucas Braga, que era tido como favorito a substituir o lesionado Marinho, mas só entrou após o intervalo.

Porém, o cenário do primeiro tempo continuou o mesmo no início do segundo e, já aos 2 minutos, o Corinthians abriu o placar. Du Queiroz cruzou da direita para Jô, que recebeu de costas para o zagueiro, girou para cima do defensor e finalizou rasteiro no canto direito baixo de João Paulo.

Foi o décimo gol de Jô na temporada, na qual o atacante é o maior artilheiro corintiano. O jogador não marcava há nove partidas e havia balançado as redes pela última vez na vitória por 3 a 1 sobre o Bahia, no dia 5 de outubro, em Itaquera. Também foi o 29º gol de Jô na Arena, onde ainda ostenta a condição de artilheiro maior da história do estádio alvinegro.

O gol obrigou o Santos a finalmente ser um pouco mais ofensivo e o time voltou a assustar Cássio por meio de Tardelli, aos 11 minutos, desta vez em finalização por cima do gol. Mas ali foi um raro lampejo ofensivo dos visitantes, que sofriam muito para articular as jogadas e criar oportunidades de gol.

WILLIAN ENTRA EM VOLTA APÓS SETE JOGOS FORA

Recuperado de uma lesão muscular na coxa esquerda, sofrida no dia 13 de outubro contra o Fluminense e que o deixou fora de sete partidas, Willian foi colocado em campo por Sylvinho aos 18 minutos deste segundo tempo, quando substituiu Gabriel Pereira e ouviu uma forte comemoração dos torcedores quando foi chamado pelo técnico para ir para o confronto.

Com Willian, o Corinthians ganhou uma nova opção boa de velocidade pelo lado direito, mas, em vantagem no placar, perdeu um pouco da pressa e diminuiu bastante o volume ofensivo em relação ao primeiro tempo.

JÔ VOLTA A SER DECISIVO, AGORA COM ASSISTÊNCIA

E o Corinthians, muito mais time em campo, acabou fazendo por merecer o segundo gol aos 40 minutos. Após um novo bom passe de Renato Augusto, Gil escorou, Jô recebeu mais uma vez fazendo papel de pivô e rolou para Gabriel finalizar no canto direito baixo de João Paulo: 2 a 0 e festa garantida para a Fiel.

A vitória foi conquistada no jogo em que Fagner completou 200 partidas pelo Corinthians na Arena e também igualou a marca de 433 duelos disputados pelo ídolo Marcelinho Carioca com a camisa alvinegra.

PRÓXIMOS JOGOS

Na próxima quinta-feira, o Corinthians volta a campo para enfrentar o Ceará, às 20h, no Castelão, em Fortaleza, pela 35ª rodada do Brasileirão. Um dia antes, o Santos vai receber o Fortaleza às 19h, na Vila Belmiro, na abertura da jornada.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 2 x 0 SANTOS

Local: Neo Química Arena, em São Paulo (SP).

Data/Horário: 21/11/2021, às 16h.

Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS).

Assistentes: Jorge Eduardo Bernardi (RS) e Jose Eduardo Calza (RS).

VAR: Daniel Nobre Bins (RS).

Público/Renda: 43.583 pagantes/R$ 2.566.138,80.

Cartões amarelos: Roni (Corinthians).

Cartões vermelhos: -

Gols: Jô, aos 2'/2T (1-0), e Gabriel, aos 40'/2T (2-0)

CORINTHIANS

Cássio; Fagner, João Victor, Gil e Fábio Santos; Gabriel, Du Queiroz (Roni, aos 33'/2T), Renato Augusto, Gabriel Pereira (Willian, aos 18'/2T) e Róger Guedes; Jô (Gustavo Mosquito, aos 43'/2T). Técnico: Sylvinho.

SANTOS

João Paulo; Danilo Boza e Luiz Felipe e Kaiky; Madson (Ângelo, após o intervalo), Camacho (Raniel, aos 38'/2T), Vinícius Zanocelo (Carlos Sánchez, aos 27'/2T), Gabriel Pirani (Lucas Braga, após o intervalo), Marcos Guilherme e Felipe Jonatan; Diego Tardelli. Técnico: Fábio Carille.

Lance!
Publicidade
Publicidade