1 evento ao vivo

Futebol

Goleiro da Chape falha, e Paulista vai à semi da Copinha

SERGIO BARZAGHI/Gazeta Press
17 jan 2017
23h02
atualizado em 18/1/2017 às 07h34
  • separator
  • comentários

Acabou na noite dessa terça-feira o sonho do título inédito da Chapecoense na Copa São Paulo de Futebol Júnior. Sob muita chuva e com um estádio inteiro contra, o time catarinense não foi páreo para o Paulista de Jundiaí, que soube aproveitar o apoio vindo das lotadas arquibancadas do Jayme Cintra para vencer por 1 a 0, em duelo válido pelas quartas de final da competição.

Herói da Chapecoense na disputa por pênaltis contra o favorito São Paulo na segunda fase, o goleiro Tiepo acabou sendo o vilão na eliminação desta noite. No chute de Vitor Hugo, ele "bateu roupa" e não conseguiu afastar o perigo de sua área. O rebote foi pego por Brayan, que não perdoou ao marcar o gol da classificação do clube de Jundiaí, que segue com apenas um gol sofrido no torneio.

Com o resultado, o Paulista foi o primeiro time a se credenciar para a disputa das semifinais da Copinha. O adversário sairá do duelo entre Botafogo e Batatais, marcado para esta quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), em Osasco. A agremiação de Jundiaí busca o bicampeonato da mais tradicional competição de base no Brasil, já que conquistou a edição de 1997 sobre o Corinthians.

Braian, jogador do Paulista, comemora seu gol durante partida contra a Chapecoense, válida pelas quartas de final da Copa São Paulo de Juniores 2017
Braian, jogador do Paulista, comemora seu gol durante partida contra a Chapecoense, válida pelas quartas de final da Copa São Paulo de Juniores 2017
Foto: SERGIO BARZAGHI/Gazeta Press

O jogo

Empurrado pela torcida que compareceu em peso ao Jayme Cintra, o Paulista não precisou de muito tempo para fazer o estádio vibrar.

Aos nove minutos, o goleiro da Chapecoense, Tiepo, se atrapalhou em chute de Vitor Hugo de fora da área e espalmou a bola para a frente. No rebote, Brayan empurrou para a rede, abrindo o placar para o time da casa.

A partir de então, os catarinenses tentaram exercer pressão sobre os paulistas. Mas, sem criatividade e organização, o goleiro Enzo teve pouco trabalho, sendo exigido apenas em uma cobrança de falta de Guilherme.

Precisando do empate para seguir vivo, o Verdão do Oeste se lançou ao ataque no segundo tempo. Logo no primeiro minuto, Enzo foi obrigado a se esticar para agarrar o chute de Japa. Aos 11, o goleiro do time de jundiaí voltou a trabalhar ao fazer linda defesa no arremate de Ned, que aproveitou a sobra em bate-rebate na área.

Desesperada atrás do empate, a Chape começou a abusar das bolas levantadas na área adversária. O "chuveirinho" não surtiu efeito e o goleiro Enzo foi dominante no espaço aéreo do Paulista.

Quando optou por colocar a bola no chão, a equipe catarinense chegou com mais perigo. Aos 35, Bruno recebeu livre na esquerda, mas finalizou mal, por cima da meta de Enzo. Em uma jogada parecida, pelo mesmo lado, Bruno mandou no travessão, mas o árbitro já havia sinalizado impedimento.

A Chapecoense, mesmo que de maneira atabalhoada, continuou pressionando o Paulista até o fim da partida, sempre exagerando em cruzamentos. A estratégia mais uma vez não funcionou e os catarinenses deixaram o gramado aos gritos de "Eliminado!".

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade