0

Suárez responde Griezmann e comenta possível desfalque de Cavani

3 jul 2018
11h02
atualizado às 11h02
  • separator
  • 0
  • comentários

Antecedendo o confronto válido pelas quartas de final da Copa do Mundo da Rússia, Antoine Griezmann revelou ter um grande carinho pelo Uruguai, muito em função de amizades como a do zagueiro Diego Godín, companheiro de Atlético de Madrid e padrinho de sua filha. Porém, toda essa simpatia com o país sul-americano foi contestada pelo adversário Luís Suárez, que garantiu, nesta terça, que o francês não compartilha do mesmo sentimento que os jogadores uruguaios.

"Ainda que Antoine (Griezmann) diga que é meio uruguaio, ele é francês e não sabe na realidade o que é o sentimento uruguaio, a entrega e esforço que fazemos desde pequenos para triunfar no futebol com tão poucas pessoas que somos. Isso nós sentimos. Ele tem o costume, forma de falar, mas sentimos de outra maneira", afirmou o camisa nove, em coletiva de imprensa.

Outro tema abordado por Luisito foi o possível desfalque do companheiro Edison Cavani para o duelo contra a França. Após lesionar a panturrilha contra Portugal, pelas oitavas de final, o atacante do Paris Saint-Germain ainda é dúvida para a partida. Sua dupla de ataque fez questão de ressaltar a importância que tem para a Celeste, ainda mais em um mata-mata de Copa, na qual o camisa 21 já conta com três gols anotados.

"O que ele significa, tanto para meu jogo, tanto para a equipe, é essencial, pela classe de jogador que é, pelo que demonstrou em todos os jogos que fez pela seleção. Sem falar do momento atual, do que fez outro dia, da colaboração em geral, desgaste físico. Todos veem a ajuda que ele dá para o time", apontou. "Eu sou mais um na espera (para saber se o Cavani jogará). Sei que é complicado, pois não é nada fácil ter uma lesão. São poucos dias, isso pode ser um pouco difícil para a recuperação, mas sei que a vontade, atitude e esforço ele vai fazer", completou.

Suárez, porém, tratou de reforçar que, mesmo com uma eventual ausência de Cavani, o jeito de jogar uruguaio não será alterado e a aposta pelo jogo coletivo continuará sendo o grande trunfo da equipe comandada por Óscar Tabárez. Para o camisa nove, quem entrar no lugar do artilheiro irá corresponder da mesma maneira, ou até melhor que o próprio.

"É uma Copa, obviamente que se sente, mas também há jogadores que possam fazer da mesma maneira, esperemos que até melhor. Não depende só de um jogador, nós já demonstramos que o Uruguai depende muito do coletivo e do trabalho que fazemos dentro de campo", finalizou.

França e Uruguai se enfrentam na próxima sexta-feira, a partir das 11h (no horário de Brasília), valendo vaga na semifinal da Copa do Mundo da Rússia. Quem perder dá adeus ao torneio. Quem passar, disputará a classificação para a grande final contra o vencedor de Brasil x Bélgica, que ocorre no mesmo dia, às 15h.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade