PUBLICIDADE

STJD marca julgamento do Santos por confusão na Vila e agressão a Cássio

2 ago 2022 - 14h51
Ver comentários

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) agendou para o dia 10 de agosto, a partir das 10 horas (de Brasília), o julgamento do Santos pelos atos de sua torcida na Vila Belmiro no jogo contra o Corinthians, pela volta das quartas de final da Copa do Brasil.

O uso de sinalizadores, arremesso de bombas e outros objetos no gramado e invasões com agressão praticada contra o goleiro Cássio, do Timão, serão julgadas em primeira instância e podem render multa e perda de mando ao Peixe. A sessão terá transmissão ao vivo no site do STJD.

O Santos foi enquadrado no Artigo 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que prevê punições por "deixar de tomar providências capazes de prevenir e reprimir" tais atos, sendo uma infração em cada inciso, com pedido de dupla aplicação ao parágrafo primeiro, que prevê a perda de mando de campo:

Dessa forma, o clube deve receber uma multa que pode variar de R$ 100,00 a R$ 100.000,00. Além disso, devido à gravidade, poderá haver punição por perda de mando de campo, de uma a dez partidas.

O que prevê o artigo denunciado:

Art. 213. Deixar de tomar providências capazes de prevenir e reprimir:

I - desordens em sua praça de desporto;

II - invasão do campo ou local da disputa do evento desportivo;

III - lançamento de objetos no campo ou local da disputa do evento desportivo.

PENA: multa, de R$ 100 a R$ 100 mil.

Parágrafo 1º - Quando a desordem, invasão ou lançamento de objeto for de elevada gravidade ou causar prejuízo ao andamento do evento desportivo, a entidade de prática poderá ser punida com a perda do mando de campo de uma a dez partidas, provas ou equivalentes, quando participante da competição oficial.

Sinalizadores - artigo 213, inciso I, do CBJD

Arremesso de bombas e outros objetos - artigo 213, inciso III, parágrafo 1º, do CBJD

Invasões de campo e agressão a Cássio - artigo 213, inciso II, parágrafo 1º, do CBJD.

RELEMBRE O CASO

O Santos foi eliminado para o Corinthians na Copa do Brasil no dia 13 de julho. O Peixe até venceu por 1 a 0, mas não foi o suficiente para reverter a vantagem de 4 a 0 construída pelo Timão no jogo de ida das oitavas de final. O revés acabou gerando uma enorme confusão na Vila Belmiro.

O tumulto começou aos 39 minutos segundo tempo, quando torcedores do Alvinegro Praiano acenderam sinalizadores na arquibancada localizada atrás do gol defendido por Cássio. Dessa forma, o árbitro Jean Pierre Goncalves Lima (RS) paralisou o clássico. Instantes depois, os santistas passaram a atirar os artefatos em direção ao gramado e bombas foram explodidas.

Assustados, os jogadores do Corinthians correram para o banco de reservas e só retornaram após o clima acalmar. A bola, então, voltou a rolar, porém a confusão não chegou ao fim.

Após o apito final do árbitro, alguns torcedores invadiram o campo e partiram para cima dos atletas do Timão. O goleiro Cássio chegou a ser agredido duas vezes.

Na súmula, Jean Pierre Goncalves Lima registrou todos os ocorridos e informou que foram sete invasores. Todos foram encaminhados para o Jecrim (Juizado Especial Criminal).

"Informo que a partida foi paralisada aos 39′ minutos do segundo tempo, devido a utilização de sinalizadores por parte da torcida do Santos FC, informo ainda que foram arremessadas bombas para dentro do campo, explodindo na área penal onde era defendida pela equipe do SC Corinthians, ficando por este motivo 4′ minutos com a partida paralisada.

Logo no dia seguinte da partida, o Santos nomeou os invasores em seu site oficial, além do agressor de Cássio. Um dos torcedores acabou expulso do quadro de sócios do Peixe.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade