1 evento ao vivo
Logo do Copa do Brasil
Foto: terra

Copa do Brasil

Cruzeiro elimina Fluminense nos pênaltis e está nas quartas da Copa do Brasil

Time tricolor busca o empate por 2 a 2 no último lance, mas é derrotado por 3 a 1 na sequência

5 jun 2019
22h10
  • separator
  • comentários

Em um jogo emocionante, o Cruzeiro se classificou para as quartas de final da Copa do Brasil, ao derrotar, nos pênaltis, o Fluminense por 3 a 1, nesta quarta-feira à noite, no Mineirão. Depois de um empate por 1 a 1 no Rio, as equipes voltaram a empatar no tempo normal, desta vez por 2 a 2. A equipe mineira vai saber o seu próximo adversário na segunda-feira, em sorteio na sede da CBF.

Apesar do apoio intenso vindo das arquibancadas, o Cruzeiro viu o Fluminense dominar a partida no primeiro tempo. O time carioca só correu perigo quando exagerou no toque de bola para sair de seu campo, mesmo quando o adversário estava em marcação cerrada. As oportunidades foram perdidas por Robinho e Sassá, que entrou no lugar de Fred, machucado.

O placar foi aberto aos 15 minutos, com a ajuda do VAR, que chamou a atenção do árbitro para analisar o choque entre Dedé e Brenner. Em uma lance despretensioso e sem perigo pela ponta esquerda, o zagueiro exagerou na força e mandou o atacante para fora do gramado.

Pênalti, que Ganso bateu, mas Fábio defendeu. No rebote, Luciano aproveitou e mandou para as redes. O VAR entrou em ação de novo e flagrou a invasão do atacante do time carioca na hora da cobrança. Em nova batida, Ganso voltou a tocar no canto direito do goleiro, que se jogou do outro lado.

O segundo tempo começou totalmente diferente. O Fluminense, liderado por Thiago Neves, pressionou o Fluminense em seu campo e o gol de empate não demorou a sair.

Após escanteio, Dedé ganhou de todo mundo, Henrique desviou pelo lado esquerdo e Thiago Neves, sozinho na pequena de área, empurrou para as redes: 1 a 1, aos 13 minutos. Detalhe: todos tocaram de cabeça.

A pressão permaneceu, assim como o bom futebol de Thiago Neves, que iniciou jogada no meio de campo, com lindo drible em Ganso. O meia lançou Pedro Rocha, que foi derrubado por Gilberto. Novo pênalti, aos 20 minutos, que Sassá cobrou para bela defesa de Agenor.

O Cruzeiro sentiu o pênalti perdido, mas o Fluminense não aproveitou. Com isso, a equipe mineira recuperou a confiança e voltou a dominar o jogo. Aos 35 minutos, o VAR voltou a atuar na partida, ao pedir análise da entrada de Caio Henrique em Lucas Romero. Mais um pênalti, convertido por Thiago Neves, que bateu no meio da meta de Agenor.

Daí para a frente o jogo ficou sensacional. Com muitas chances de lado a lado. Fernando Diniz substituiu o zagueiro Frazan pelo lateral-esquerdo Mascarenhas, que teve a missão de atacar. Aos 39, Nino, após escanteio, obrigou Fábio a fazer bela defesa. Agenor também impediu o gol de Pedro Rocha, que definiria a classificação. No rebote, Sassá, na pequena área chutou para fora.

Diniz não se conteve e tirou também o zagueiro Nino para a entrada do meia Miguel. E foi premiado. Aos 47, Mascarenhas cruzou e Ganso cabeceou com estilo, mas Fábio, com enorme elasticidade, espalmou de forma espetacular.

Mas o melhor estava por vir. Aos 51, Daniel levantou a bola na área e João Pedro, que nada havia feito no jogo, acertou uma bicicleta sensacional e empatou o jogo, levando a disputa para os pênaltis, para delírio de Fernando Diniz à beira do gramado.

Nos pênaltis, Lucas Silva, Lucas Romero erraram, enquanto Pedro Rocha, Sassá e Thiago Neves converteram para o Cruzeiro. No Fluminense, Ganso, João Pedro e Gilberto falharam. Só Caio Henrique marcou, definindo o triunfo dos mineiros.

FICHA TÉCNICA:

CRUZEIRO 2 (3) x (1) 2 FLUMINENSE

CRUZEIRO - Fábio; Lucas Romero, Dedé, Léo e Dodô; Henrique, Ariel Cabral (Lucas Silva), Robinho e Thiago Neves; Marquinhos Gabriel (Pedro Rocha) e Fred (Sassá). Técnico: Mano Menezes.

FLUMINENSE - Agenor; Gilberto, Nino, Frazan (Mascarenhas) e Caio Henrique; Allan, Daniel e Ganso; Luciano, Brenner (Ewandro) e João Pedro. Técnico: Fernando Diniz.

GOLS - Ganso (pênalti), aos 15 minutos do primeiro tempo. Thiago Neves, aos 13 e aos 35, e João Pedro, aos 51 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Henrique, Luciano e Sassá.

ÁRBITRO - Rafael Traci (SC).

RENDA E PÚBLICO - Não divulgados.

LOCAL - Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG).

Estadão
  • separator
  • comentários
publicidade