PUBLICIDADE

Com CR7 e Lewa decisivos, Portugal e Polônia vão à Copa

Seleção portuguesa derrota a Macedônia do Norte e carimba passaporte; em jogo tenso, poloneses superam a Suécia

29 mar 2022 17h52
| atualizado às 18h02
ver comentários
Publicidade

Cristiano Ronaldo deu a letra na terça-feira: "não existe Copa do Mundo sem Portugal." Como será o desempenho da seleção, só saberemos no fim do ano, no Catar. Mas o astro fez valer suas palavras, deu assistência na abertura do placar e o país vai pela sexta vez consecutiva disputar a competição, oitava na história. Com 2 a 0 sobre a Macedônia do Norte no Estádio do Dragão, no Porto, o astro de 37 anos disputará seu 5° Mundial seguido.

Portugal confirmou o favoritismo e ainda será cabeça de chave na Copa do Mundo por causa do ranking da Fifa - está em oitavo. As sete seleções mais bem ranqueadas e o anfitrião Catar vão encabeçar os grupos que serão sorteados nesta sexta-feira. Bélgica, Brasil, França, Argentina, Inglaterra e Espanha já estavam garantidas, enquanto a Itália, em sexto, está fora.

Com CR7 e Lewa decisivos, Portugal e Polônia vão à Copa
Com CR7 e Lewa decisivos, Portugal e Polônia vão à Copa
Foto: Miguel Vidal

Autor da assistência do primeiro gol, Cristiano Ronaldo poderá, em seu quinto mundial, se tornar o maior artilheiro do país na competição. Ele anotou sete vezes em Copas, enquanto Eusébio lidera com nove, todos anotados na edição de 1966, na Inglaterra, na qual Portugal ficou em terceiro com 2 a 1 sobre a União Soviética.

Em campo, Cristiano Ronaldo mostrou toda sua liderança com a seleção portuguesa desde o apito inicial. Esbanjando vontade, atuou como um maestro. Indicava para onde devia ir o passe, de qual maneira os escanteios deviam ser cobrados e, apesar de posicionado como o homem gol, se mexia para dar opção às jogadas.

O grande lance no começo do jogo caiu em seus pés. Com somente 13 minutos, após passe primoroso de Otávio, saiu cara a cara e, com torcedores já com braços erguidos para soltar o grito de gol, mandou raspando, para fora. A batida de pé esquerdo não saiu como planejado.

Nada que desanimasse os 50 mil presentes. O "inferno" pedido pelo camisa 7 vinha em forma de cantoria, incentivo e vaias quando os oponentes pegavam na bola. Empurrada para frente, a seleção portuguesa ficou na quase mais uma vez em cabeçada de Diogo Jota. Foi por pouco.

Diferentemente da visita à Itália, na qual pouco produziu ofensivamente, a Macedônia do Norte também deu sustos no estádio do Dragão, com dois chutes de Alioski. Não fez e pagou caro com um erro que não pode no futebol: o passe cruzado na defesa.

O defensor ignorou a regra na frente de Cristiano Ronaldo, aos 31 minutos. E o astro mostrou que ser "fominha" não faz parte de quem joga na seleção. "Somos um time", havia dito, na véspera da decisão. E provou.

No erro de saída de bola da Macedônia, Bruno Fernandes cortou e mandou para o astro sair mais uma vez na cara do goleiro Dimitrievski. Optou, porém, em devolver ao companheiro e o chute rasante morreu nas redes. Festa em vermelho e verde.

Mesmo com a vantagem, Ronaldo não queria que o frisson diminuísse e pedia para a torcida aumentar ainda mais o som. Foi atendido com gritos de "Cristiano Ronaldo", e a mesma pressão do início. O espetáculo nas arquibancadas ainda ficou iluminado com os torcedores acendendo a lanterna de seus celulares.

Na volta do intervalo, um raro momento de estresse de Cristiano Ronaldo. Bruno Fernandes optou pelo chute ao invés de servir o craque. Seria a retribuição do gol. Não veio e o camisa 7 reclamou. O 1 a 0 era perigoso.

Com a Macedônia toda no ataque em busca do empate, Portugal tinha o contragolpe a seu favor e bastava caprichar para buscar uma vantagem que desse tranquilidade total. Em uma roubada de bola de Pepe, enfim, veio a paz. Bruno Fernandes tocou para Diogo Jota e atravessou o campo para ampliar. Desta vez para aplauso de Cristiano Ronaldo.

A torcida queria que a festa fosse completa e voltou a cantar o nome de sua estrela, esperando mais um gol. "Cristiano Ronaldooooo, Cristiano Ronaldoooo..." Não deixaram de reconhecer, também, o experiente zagueiro Pepe. Com o passar do tempo, tudo era motivo para festa. Até substituições foram aplaudidas.

Restando 10 minutos, as bandeirinhas começaram a se agitar com a certeza da classificação. O hino à capela pedido por Cristiano Ronaldo, era cantado com muita força e emoção. Com alguns meses de atraso após falhar no Estádio da Luz, ao levar a virada da Sérvia, Portugal passou pela terceira repescagem nos últimos quatro mundiais (2010, 2014 e 2022) e carimbou o passaporte.

POLÔNIA GARANTIDA

Grande artilheiro do momento no futebol europeu com a camisa do Bayern de Munique, Robert Lewandowski é outro astro que estará na Copa do Mundo do Catar. O camisa 9 abriu caminho para a vitória da Polônia sobre a Suécia, por 2 a 0, em cobrança de pênalti. Zielinski definiu a classificação.

O resultado no estádio Slaski, em Chorzow e Katowice, foi construído no segundo tempo, após os suecos mandaram na primeira etapa e falharem em muitas chances de sair na frente.

Estadão
Publicidade
Publicidade