0

Otimista, hondurenho diz que "não quer empatar com ninguém"

12 jun 2014
14h59
atualizado às 15h28
  • separator
  • 0
  • comentários

"Azarão" do Grupo E da Copa do Mundo, Honduras não compartilha do mesmo otimismo que outras seleções, mas também não descarta as chances de classificação para as oitavas de final do torneio, o que, segundo declarações dadas pelo meia Jorge Claros nesta quinta-feira, depende de que a equipe não cometa erros.

<p>Zagueiro Jorge Claro afirmou que Honduras não se conformará com nada na Copa do Mundo</p>
Zagueiro Jorge Claro afirmou que Honduras não se conformará com nada na Copa do Mundo
Foto: Getty Images

Quer acompanhar as notícias e jogos da sua seleção? Baixe nosso app. #TerraFutebol

O primeiro desafio dos hondurenhos no Mundial é no próximo domingo, às 16h (de Brasília), no Beira Rio, contra a França. Apesar de fazer parte de um elenco mais fraco tecnicamente, Claros apresenta uma postura confiante e determinada antes da estreia na competição.

"Queremos ganhar, não nos vamos conformar com nada", disse o jogador, em entrevista coletiva antes do treino desta quinta em Porto Feliz, em São Paulo, onde a seleção caribenha está concentrada.

Nessa linha, o meia também declarou que Honduras "não quer empatar com ninguém" e que a equipe "vai ter que tentar ganhar todas as partidas" para se classificar às oitavas. Segundo ele, resultados positivos ajudariam a equipe a ganhar confiança para as partidas seguintes.

Claros aproveitou a oportunidade para citar o último amistoso disputado por Honduras, que terminou em um empate sem gols contra a Inglaterra. Ao contrário do que muitos pensavam, os caribenhos resistiram durante os 90 minutos e tiveram chances de marcar.

"Chegamos à conclusão que jogamos bem. Faltou o gol, mas tivemos a posse da bola e fizemos incomodamos a Inglaterra. Se nos propusermos a passar para a segunda fase, vamos ter de jogar igual ou melhor", analisou.

Companheiro de Claros na seleção, Bryan Beckeles mencionou a partida contra os franceses na entrevista coletiva. O zagueiro, que declarou estar ansioso para ser titular na Copa do Mundo, considerou que a ausência de Franck Ribéry - cortado por lesão - não aliviará os hondurenhos, já que toda a seleção adversária gera preocupações.

"São jogadores de elite, de grandes clubes. Não vamos enfocar um só jogador. Se conhecermos as virtudes e as deficiências do adversário, poderemos alcançar nosso objetivo", destacou.

EFE   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade