PUBLICIDADE

Cahill, o veterano com a missão de liderar a Austrália na Copa

20 mai 2014 16h11
| atualizado em 31/5/2014 às 11h34
Publicidade

Tim Cahill, primeiro australiano a marcar um gol numa Copa do Mundo, em 2006, participará em junho de seu terceiro Mundial e terá a missão de trazer experiência à uma jovem seleção num grupo complicado.

Bem conhecido na Inglaterra, onde jogou durante 14 anos com as camisas do Millwall e em seguido do Everton até 2012 (56 gols em 226 partidas), o meia de 34 anos é hoje um veterano numa seleção australiana comandada pelo técnico Ange Postecoglou e focada na renovação do elenco.

Dos 30 jogadores que integram a pré-lista de convocados para a Copa do Mundo, 19 atuaram menos de dez vezes pelos 'Socceroos' e onze têm menos de 23 anos. Postecoglou explica: "Esta equipe foi escolhida seguindo principalmente os critérios físicos, mas também já de olho no futuro".

Recuperado de uma lesão na coxa sofrida no fim de março, o meia do New York Red Bulls (MLS) provavelmente não deve a presença na lista à condição física. Mas, como último representante da "geração dourada" australiana de Harry Kewell, Mark Schwarzer e Mark Viduka, Cahill poderá ajudar a nova geração com sua experiência no mais alto nível do futebol mundial.

Não é preciso ser tão experiente quanto Cahill para saber que passar de fase será uma tarefa árdua para os australianos num complicado Grupo B, no qual enfrentarão o Chile de Arturo Vidal no dia 13 de junho, a vice-campeã do mundo Holanda no dia 18 e a atual campeã Espanha, no dia 23.

Mas o maior artilheiro da história dos 'Socceroos' (31 gols em jogos oficiais) sabe muito bem que zebras acontecem, como em 2006.

Em sua primeira participação em Copa do Mundo, a Austrália fez o impossível classificando-se para as oitavas de final, antes de ser eliminada com honra pelos futuros campeões do mundo, os italianos (1-0 nas quartas de final).

Tim Cahill, aliás, entrou para a história no mundial alemão, marcando o primeiro gol da Austrália em Copa do Mundo, numa inesperada vitória de 3 a 1 sobre o Japão. Passada esta surpresa, os australianos acabaram derrotados logicamente pelo Brasil (2-0), antes de empatar em 2 a 2 com a Croácia, garantindo o segundo lugar do Grupo.

Meia de boa visão de jogo e de grande liderança em campo, Cahill sempre destacou-se marcando gols importante para sua seleção. Em 2010, ele fez o primeiro dos dois gols da vitória australiana sobre a Sérvia (2-1), o que não foi suficiente para apagar sua expulsão no primeiro jogo da fase de grupos, uma derrota de 4-0 para a Alemanha.

Com isto, a Austrália acabou ficando em terceiro lugar na chave, perdendo no saldo de gols para Gana e ficando de fora das oitavas de final do Mundial Sul-africano.

Sem dúvida, Cahill pretende deixar uma imagem melhor para os torcedores australianos, no que provavelmente será sua última Copa do Mundo, e o palco perfeito para isto está montado, com a possibilidade de surpreender a atual campeã do mundo, a Espanha, e a vice, a Holanda.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
Publicidade