0

Com Bolsonaro na torcida, Palmeiras bate Botafogo e reassume vice-liderança

Com gol de Thiago Santos, equipe de Mano Menezes vence por 1 a 0 no Pacaembu e ultrapassa o Santos

12 out 2019
23h08
atualizado às 23h08
  • separator
  • 0
  • comentários

Com a presença do presidente da República Jair Bolsonaro no estádio, o Palmeiras derrotou o Botafogo por 1 a 0, mas poderia ter deixado o Pacaembu com um resultado bem melhor, diante das diversas chances de gol perdidas. Pelo menos, o time alviverde conseguiu se manter na caça ao líder Flamengo e passou provisoriamente o Santos, na vice-liderança, do Campeonato Brasileiro.

Com o resultado, o Palmeiras chegou aos 50 pontos, três a mais do que o Santos e cinco a menos do que o Flamengo. O Santos visita o Internacional e o Flamengo enfrenta o Athletico-PR, em Curitiba, neste domingo.

Bolsonaro foi ao Pacaembu para acompanhar seus dois times de coração. Ele já disse algumas vezes que torce para o Palmeiras em São Paulo e Botafogo no Rio, mas antes de a bola rolar, ele arriscou que o time alviverde venceria por 3 a 0, deixando clara sua preferência entre os dois clubes. Não foi o resultado que ele imaginava, mas como todo palmeirense, deve ter deixado o Pacaembu satisfeito.

Já o torcedor do Botafogo teve poucos momentos de alegria ou expectativa positiva no Pacaembu. Antes de a bola rolar, botafoguenses gritaram: "É Sandy e Júnior", fazendo referência ao show no Allianz Parque que fez com que a partida fosse transferida para o Pacaembu. Aos cinco minutos, Leonardo Valencia acertou um forte chute de fora da área e mandou por cima do gol de Fernando Prass. E esses foram os momentos de euforia dos visitantes. No resto do tempo, o Palmeiras foi quem ditou o ritmo de jogo e dominou.

O Palmeiras tinha dificuldades para abrir a defesa alvinegra. O empate seria um ótimo resultado para os cariocas. Então, o jeito encontrado pelos palmeirenses foi apostar em quem menos se esperava como elemento surpresa no ataque. Aos 14, Thiago Santos tabelou com Scarpa e com categoria entrou na área, tirou de Diego Cavalieri e mandou para as redes. Um belo gol que arrancou aplausos do presidente Jair Bolsonaro. E, provavelmente, um dos mais bonitos na carreira do volante, que não é de fazer muitos gols.

O Palmeiras ainda teve mais uma chance de ampliar a vantagem no primeiro tempo, mas Deyverson não conseguiu aproveitar. Aliás, o atacante, que voltou ao time graças a lesão de Luiz Adriano, demonstrou muita vontade e claramente estava ansioso para marcar e tentar amenizar as críticas da torcida. Ele foi o único jogador que teve o nome vaiado durante o anúncio da escalação pelo sistema de som.

Na etapa final, a pressão palmeirense foi ainda maior. Parecia uma bliz alviverde e Prass praticamente assistiu ao jogo. Bruno Henrique, Dudu, Scarpa... Todo mundo tentou marcar mais um, para evitar surpresas nos minutos finais. Mano cansou de ver Deyverson correndo para lá e para cá, sem objetividade, e decidiu apostar em Henrique Dourado, que quase marcou de cabeça, mas desviou para fora.

O cenário do jogo foi o mesmo até os minutos finais. O Botafogo sem criatividade e força ofensiva e o Palmeiras pressionando e errando no último lance. Bruno Henrique chegou a marcar um gol, mas o árbitro deu impedimento. Aos 47, Henrique Dourado saiu cara a cara com Cavalieri e chutou rasteiro para uma grande defesa do goleiro. E lá se foi mais uma chance perdida, que para a sorte dos palmeirenses, não custou tão caro. O time conseguiu voltar a vencer e avisou ao Flamengo e Santos que não está fora da briga pelo título do Brasileiro.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS: Fernando Prass; Marcos Rocha, Luan, Vitor Hugo e Diogo Barbosa; Thiago Santos (Matheus Fernandes), Bruno Henrique, Gustavo Scarpa e Zé Rafael (Lucas Lima); Dudu e Deyverson (Henrique Dourado). Técnico: Mano Menezes.

BOTAFOGO: Diego Cavalieri; Fernando, Joel Carli, Gabriel e Gilson (Igor Cássio); Alan Santos (Marcos Vinícius), Gustavo Bocheca e João Paulo (Yuri); Leonardo Valencia, Vinícus Tanque e Luiz Fernando. Técnico: Bruno Lazaroni.

GOL: Thiago Santos, aos 14 minutos do 1º Tempo

CARTÕES AMARELOS: Fernando, Thiago Santos, Luan e Joel Carli

ÁRBITRO: Anderson Daronco (RS-Fifa)

PÚBLICO: 19.028 pagantes

RENDA: R$ 578.605,00

LOCAL: Pacaembu, em São Paulo

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade