0

Campello indica mais jogos do Vasco no Maracanã e diz que lucrará com estádio

Primeiro deles será no domingo, quando a equipe vai enfrentar o Resende, pelas semifinais da Taça Guanabara

7 fev 2019
18h15
atualizado às 18h15
  • separator
  • 0
  • comentários

Embora o Vasco tenha o seu estádio, jogar no Maracanã como mandante deve se tornar algo mais frequente em 2019. O indicativo dessa possibilidade foi dado pelo presidente Alexandre Campello, explicando que pretende levar ao principal estádio do Rio os jogos do time com expectativa de grande público. E o primeiro deles será no domingo, quando a equipe vai enfrentar o Resende, pelas semifinais da Taça Guanabara, o primeiro turno do Campeonato Carioca.

"Faz parte de um plano da nossa gestão. É importante entender que o Maracanã também é a casa do Vasco. São Januário comporta algo em torno de 20 mil e o Vasco muitas vezes joga pra uma demanda de público maior. Precisamos tornar esses jogos rentáveis", afirmou o dirigente.

A decisão do Vasco se dá no sentido contrário ao das reclamações de clubes, especialmente do Flamengo, sobre os altos custos envolvidos na realização de partidas no Maracanã. Campello explicou, no entanto, ter fechado um acordo com o Consórcio Maracanã baseado no público que for ao estádio.

"Acertamos um valor fixo para público de até 30, 40 mil e 50 mil. Maior que 50 mil torcedores, será escalonado", disse, sem revelar valores, mas explicando que setores do estádio só serão abertos se houver demanda.

Campello também assegurou que o Vasco terá lucro no domingo se ao menos 30 mil torcedores foram ao Maracanã. E destacou que vai ser importante jogar no estádio para que os jogadores se adaptem a ele, especialmente para uma eventual decisão da Taça Guanabara no local, palco constante dos compromissos de Flamengo e Fluminense, que vão duelar na outra semifinal, no sábado.

"A partir de 30 mil, o Vasco tem possibilidade de lucro. Vamos jogar onde vai ocorrer a final da Taça Guanabara e talvez a do Carioca. Quem joga constantemente lá, pode levar alguma vantagem", acrescentou.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade