4 eventos ao vivo

Camisa 10 da Costa Rica ressalta importância de vitória na estreia

14 jun 2018
10h41
  • separator
  • comentários

Na Copa do Mundo da Rússia, a Costa Rica tentará, ao menos, repetir o bom desempenho de 2014, no Brasil, onde chegou até as quartas de final após se classificar na primeira colocação de um grupo que contava com Uruguai, Inglaterra e Itália. No entanto, para voltar a surpreender, a seleção terá de lidar com uma responsabilidade maior e adversários tão complicados quanto, como afirma o meia Bryan Ruíz, que vê uma vitória na estreia contra a Sérvia como essencial para a sequência da competição.

"Acho que será mais difícil para nós. Primeiro, porque nossos rivais estarão mais preparados pelo que fizemos há quatro anos, e depois porque o grupo é muito igual, com exceção do Brasil que é um pouco melhor. Os outros três times, Sérvia, Suíça e Costa Rica são muito parecidos. A minha opinião é que as três seleções vão lutar por uma vaga, pois o Brasil é muito forte no momento. É por isso que este primeiro jogo contra a Sérvia é muito importante para nós vencermos, mas obviamente a Sérvia pensa o mesmo, que é importante nos vencer para ter a chance de passar de fase. Temos que estar totalmente focados na estreia", alertou, em coletiva de imprensa.

Pela primeira rodada do Grupo E do Mundial, então, Costa Rica e Sérvia se enfrentam a partir das 9h (no horário de Brasília) deste domingo, em partida realizada na Arena Samara. O camisa 10 e capitão costarriquenho elogiou o time adversário, que, segundo ele, conta com jogadores de extrema qualidade.

"Eles têm muito bons jogadores. Apesar de terem mudado de técnico recentemente, os jogadores têm muita experiência. Eu não sei como é o espírito de equipe deles, o que é importante em uma Copa do Mundo, mas eles têm jogadores realmente bons que podem fazer a diferença. Então, temos que nos concentrar em não deixar que esses jogadores tomem conta do jogo", apontou.

Bryan Ruíz disputará sua segunda Copa do Mundo. Depois de ficar de fora da lista de convocados de 2006 e não conseguir alcançar a classificação para o torneio em 2010, o meia se tornou um dos heróis na surpreendente campanha da Costa Rica em 2014, autor de dois gols, um deles o da vitória por 1 a 0 diante da Itália. O jogador de 32 anos de idade, que defendeu o Sporting na última temporada, chegou a ser cotado como possível reforço do Santos nas últimas semanas.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade