PUBLICIDADE

Bom Senso 1 ano: CBF contra parede, mas poucas mudanças

Grupo incendeia discussão sobre futebol brasileiro, mas encontra resistência para colocar em prática todas as reivindicações: calendário de 2015 no País ainda é muito falho e fair-play financeiro uma realidade distante

30 set 2014
08h41 atualizado às 08h56
0comentários
08h41 atualizado às 08h56
Publicidade

O movimento Bom Senso FC, grupo formado por jogadores do futebol brasileiro que exige mudanças no esporte no País, completa um ano nesta terça-feira. Fundado oficialmente em 30 de setembro de 2013, a organização fez bastante barulho em seu início e colocou a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) contra a parede, mas agora faz um trabalho mais silencioso. Ainda em atividade, o grupo deixou de lado os holofotes buscados no ano passado e faz nos bastidores as principais ações para conseguir as muitas mudanças ainda reivindicadas.

Gilberto Silva sobre calendário da CBF: "estrangula os times":

Atualmente, o Bom Senso conta com o status de uma organização: além dos jogadores, possui advogados e criou uma membrana que solidifica o grupo, mesmo com lideranças distantes - o zagueiro Paulo André, ex-Corinthians, foi um dos principais percursores do órgão, mas atualmente joga na China, longe das dificuldades enfrentadas diariamente pelo movimento. O Bom Senso conta, ainda, com site oficial em que possui um abaixo-assinado de torcedores pró-mudanças e está presente em redes sociais: seu Facebook é seguido por pouco mais de 65 mil pessoas e o Twitter por pouco menos de 40 mil.

Pioneiro no Brasil, o grupo criado exclusivamente por atletas, que atualmente possui a adesão de mais de mil jogadores de todas as divisões, conseguiu algumas mudanças significativas, como a redução das datas dos Campeonatos Estaduais. Ainda assim, contudo, sofre para emplacar diversos itens de sua lista de exigências. Recentemente, passou a colocar a democratização da CBF em sua longa lista de exigências.

Relembre em 12 itens a trajetória do grupo no 1º ano:

FUNDAÇÃO

Bom Senso FC se reúne para discutir mudanças no futebol brasileiro
Bom Senso FC se reúne para discutir mudanças no futebol brasileiro
Foto: Facebook / Reprodução

O movimento Bom Senso FC foi oficializado em 30 de setembro de 2013, após muita conversa de jogadores. Apenas uma semana antes, uma nota assinada por 75 atletas de clubes da Série A, cujas principais lideranças seriam posteriormente o zagueiro corintiano Paulo André, o meia do Coritiba Alex e o goleiro então gremista Dida, foi divulgada pedindo mudanças no calendário nacional, principal razão para a criação do movimento.

A oficialização se daria em encontro em São Paulo, em uma agência de publicidade, na data que completa um ano nesta terça-feira. A reunião resultou em um manifesto divulgado pelos jogadores que continha os principais pontos de mudança exigidos pelo grupo para a melhora do futebol brasileiro. Até hoje, o movimento se apega a mudanças no calendário e a criação de um fair play financeiro para diminuir o endividamento dos clubes. No início, sofreu críticas até do sindicato dos atletas.

MANIFESTAÇÕES

Jogadores de Corinthians e Internacional participam de protesto orquestrado pelo Bom Senso FC
Jogadores de Corinthians e Internacional participam de protesto orquestrado pelo Bom Senso FC
Foto: Ricardo Matsukawa / Terra

O início das atividades do grupo foi marcado por intensas manifestações no Campeonato Brasileiro. Quanto mais a CBF ignorava o movimento, mais elas se intensificavam. A ação começou com faixas carregadas pelos atletas de ambos os times que clamavam "por um futebol melhor para todos", slogan da organização. Os atletas, entretanto, foram além: no apito inicial do árbitro, cruzaram os braços com cara de mau, como forma de protesto.

Jogadores de Cruzeiro e Vasco sentados antes da partida
Jogadores de Cruzeiro e Vasco sentados antes da partida
Foto: André Naddeo / Terra

Os atletas não tiveram vergonha de aproveitar-se de câmera de televisões dos jogos para potencializar o movimento no início e tornar o nome conhecido. Depois dos braços cruzados, os jogadores não pararam de surpreender torcedores e telespectadores. Primeiro, passaram a sentar no gramado logo após o apito inicial, nos primeiros segundos do jogo. Perdidos, os árbitros não sabiam o que fazer e a Rede Globo foi obrigada a falar do movimento. Pressão da CBF fez os atletas mudarem a ação para uma troca de bolas entre as equipes adversárias no primeiro minuto, só interrompida quando a entidade máxima do futebol nacional ameaçou punir por "falta de competitividade".

APOIO DE TORCEDORES

No início de suas atividades, o Bom Senso conseguiu captar o apoio de parte dos torcedores. Mais do que isso: incentivou as torcidas a se unirem à causa como forma de pressionar mais ainda a CBF. Em seu site oficial, criou um abaixo-assinado que conta com mais de 70 mil assinaturas em apoio aos tópicos defendidos pelo grupo. Já no Twitter, exerceu uma ação bem-sucedida em uma das rodadas do Campeonato Brasileiro, quando pediu para que torcedores enviassem fotos de braços cruzados e postassem na rede social, assim como a atitude dos jogadores no gramado.

GREVE?

Bom Senso FC luta, principalmente, por melhorias no calendário do futebol nacional e
Bom Senso FC luta, principalmente, por melhorias no calendário do futebol nacional e
Foto: Alan Morici / Terra
(Foto: Alan Morici/Terra)

O ápice da revolta do movimento surgiu com uma séria ameaça de greve dos jogadores, programada para ocorrer na última rodada do Campeonato Brasileiro de 2013. A ação foi planejada após o movimento - e suas exigências - ser praticamente ignorado pela CBF, que tentou desvalorizar a ação em seu início. A possibilidade de greve ganhou força com uma confusão no Náutico, que, com salários atrasados, ameaçou não entrar em campo em uma partida. Os jogadores ameaçaram dar W.O. e sofreram repressão da diretoria da equipe. O Bom Senso socorreu os atletas do time e ameaçou fazer uma greve geral.

A paralisação chegou a ser cogitada por Paulo André, que pediu mais diálogo para que a paciência do grupo não chegasse ao limite. Posteriormente, a greve foi descartada com promessas de reunião com a CBF e a sinalização de algumas mudanças na organização do futebol brasileiro. Desde então, a possibilidade de uma paralisação geral ronda o grupo, mas ainda está longe de acontecer.

PRIMEIRAS CONQUISTAS

Protesto do Bom Senso em Goiás
Protesto do Bom Senso em Goiás
Foto: João Paulo di Medeiros / MEI João Paulo Bezerra Di Medeiros - Especial para o Terra
(Foto: João Paulo di Medeiros/MEI João Paulo di Medeiros)

A representatividade do movimento começou a ser demonstrada com a rendição da CBF em alguns tópicos defendidos pelo grupo. Apesar de ver a conquista de seus objetivos caminhar a passos de tartaruga, já em 2013 o Bom Senso FC conseguiu que a CBF reduzisse as datas disponíveis para os Estaduais de 23 para 19, aumentando ligeiramente a preparação e as férias dos atletas, além de parar as competições para a Copa do Mundo. A ação pegou as federações estaduais desprotegidas, já que a maioria delas, como a Federação Paulista de Futebol (FPF), teve que criar formatos de competição totalmente novos para adequar ao número de participantes.

SAÍDA DE PAULO ANDRÉ

Foto: Daniel Ramalho / Terra

O grupo de jogadores sofreu uma dura baixa no início de 2014: o zagueiro Paulo André, principal e mais proativo líder do movimento, deixou o Corinthians em meio à crise da equipe para atuar no futebol chinês. A saída do defensor rendeu muitas teorias da conspiração sobre uma tentativa de enfraquecimento dos manifestantes. Sem o atleta, o Bom Senso FC começou a perder um pouco da força, mas ainda assim o ex-corintiano acompanha as ações de longe. Não raro, utiliza redes sociais para atacar a CBF e palpitar na organização do futebol nacional.

ENCONTRO COM DILMA

Dilma Rousseff se reuniu com líderes do movimento Bom Senso FC
Dilma Rousseff se reuniu com líderes do movimento Bom Senso FC
Foto: Valter Campanato / Agência Brasil

A inversão da tendência do movimento de tentar autopromoção com ações midiáticas, como as utilizadas no Campeonato Brasileiro de 2013, para uma postura que preza os bastidores foi notada com uma conquista grande do Bom Senso FC: no fim de maio, próximo da Copa do Mundo, a presidente Dilma Rousseff encontrou o grupo de atletas para ouvir as demandas, em reunião alcançada por intermédio do ministro dos Esportes Aldo Rebelo. Participaram da conversa tanto jogadores de grandes equipes como atletas de clubes menores, em uma tentativa do movimento de mostrar sua ligação para as equipes pequenas.

A reunião com Dilma serviu muito mais para aumentar a representatividade do movimento do que propriamente realizar mudanças efetivas. Uma semana depois, o grupo emitiu nota oficial para afirmar que conquistou o apoio da presidente em suas discussões em quatro frentes (Lei de Responsabilidade Fiscal, democratização do futebol brasileiro, segurança em estádios e criação de um Plano Nacional de Desenvolvimento do Futebol). Em meio à campanha de reeleição e denúncias de corrupção na Petrobras que tomaram seu tempo, a petista, contudo, pouco ajudou os atletas até o momento.

CONVERSA COM O CONGRESSO

Bom Senso leva faixa à Câmara dos Deputados
Bom Senso leva faixa à Câmara dos Deputados
Foto: Facebook / Reprodução

Além de Dilma Rousseff, o congresso brasileiro também reconheceu a importância do movimento e conversou com os jogadores que exigem mudança no futebol nacional. Na câmara dos Deputados, os atletas levaram uma faixa da causa e puderam conversar com o então deputado Romário, partidário da causa. A exigência dos jogadores é por uma mudança na Lei de Responsabilidade Fiscal do Esporte, que faz parte da cena do fair play financeiro defendido pelos atletas. O Bom Senso FC vê validade na lei, mas critica por ser só "mais uma legislação, e não um legado".

ATAQUE APÓS 7 A 1

Foto: Twitter / Reprodução

(Foto: Reprodução)

O Bom Senso FC viu no vexame da Seleção Brasileira na Copa do Mundo, com a histórica goleada de 7 a 1 para a Alemanha na semifinal do torneio, uma grande oportunidade para atacar a CBF. Ainda em julho, o grupo divulgou um texto em tom irônico e enumero “7 esclarecimentos sobre futebol e política”, aumentando a tendência recente do movimento de focar no pedido de democratização da CBF.

PERDA DE FORÇA

Bom Senso FC afirma que divulgará vídeos com depoimentos de atletas sobre situação que vivem no futebol
Bom Senso FC afirma que divulgará vídeos com depoimentos de atletas sobre situação que vivem no futebol
Foto: Fabiano Curi/R2O Filmes / Divulgação
(Foto: Reprodução)

Apesar de contar cada vez mais adeptos entre os jogadores, o Bom Senso FC sofre, nos últimos tempos, com uma perda de força. A falta de uma manifestação incisiva dos atletas, a distância de líderes e demandas não acatadas pela CBF deixaram o grupo com uma perda de representatividade. Os jogadores ainda se reúnem, continuam fazendo demandas sazonais através de textos, mas o alcance de suas ações – na mídia, na torcida e entre os clubes – caiu.

O movimento, contudo, ainda consegue feitos ocasionais. Com a atuação focada nos bastidores e longe dos holofotes da mídia, o grupo aparece principalmente em casos de necessidade de jogadores, como na greve do Barueri ou recentemente em decisão da Justiça contra atletas do Ipatinga/FC Betim.

CALENDÁRIO DE 2015 “MAQUIADO”

O anúncio do calendário do futebol brasileiro para 2015 era aguardado com expectativa. Sem a realização da Copa do Mundo, esperava-se que a CBF pudesse acatar mais sugestões do Bom Senso FC. Contudo, o que se viu foi uma “maquiagem” da organizadora do futebol nacional: foram dados mais dias de pré-temporada e um mês de férias com o atraso do início dos Estaduais, mas diversos problemas seguiram os mesmos.

Foto: Reprodução

Na próxima temporada, a CBF não paralisará o Campeonato Brasileiro durante a Copa América e nem respeitará as datas-Fifa, colocando jogos de torneios nacionais em dias próximos aos reservados pela organizadora máxima do futebol. A promessa de pré-temporada de 30 dias aos jogadores também ficou só na conversa. Relembre aqui análise do Terra sobre a lambança no calendário.

EXPANSÃO PARA OUTROS CAMPOS

O Bom Senso FC utilizou seu nome estabelecido para passar a apoiar mudanças em outras modalidades do futebol. O futebol feminino ganhou voz com o movimento, que pede melhorias na modalidade. O beach soccer também é outro esporte que rendeu atenção do grupo de jogadores. 

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade