0

Em jogo com emoção no fim, Athletico-PR e Botafogo ficam no empate pelo Brasileirão

9 set 2020
20h01
atualizado às 20h01
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Athletico Paranaense e Botafogo empataram por 1 a 1 na tarde desta quarta-feira, na Arena da Baixada, pela nona rodada do Campeonato Brasileiro. Victor Luis abriu o placar para o Glorioso, mas Ravanelli garantiu o empate ao Furacão, que ainda perdeu um pênalti. O Alvinegro chegou aos nove pontos, um a mais que o Furacão. Ambos estão perto da zona de rebaixamento.

O primeiro tempo foi marcado por um Botafogo que se limitava a impedir que o Athletico penetrasse em seu sistema defensivo. Apesar disso os cariocas levaram um susto logo no primeiro minuto, quando Fabinho penetrou na área e chutou para grande defesa de Diego Cavalieri.

Apesar do susto, o jogo era disputado em ritmo bem lento. Tanto que só voltou a ter perigo aos 25 minutos quando Nikão arriscou de fora da área e Cavalieri cedeu escanteio. Dois minutos depois Márcio Azevedo cruzou e Léo Cittadini girou na área para fazer a bola raspar a trave botafoguense.

Neste cenário, apenas algo anormal faria o Botafogo, que até então não havia dado um chute a gol, assustar. E esta força extraordinária foi a lei do ex, que entrou em cena aos 43 minutos. E ela foi responsável por um gol de Bruno Nazário. Mas o lance foi bem anulado. Caio Alexandre recuperou uma bola na lateral e cruzou para o complemento certeiro de Bruno Nazário. Porém, o jogador que deu a assistência estava impedido. Assim o jogo foi com o 0 a 0 para o intervalo.

Na volta para o segundo tempo, o Furacão seguiu tentando se impor no campo ofensivo. Mas dessa vez com o Botafogo mais organizado na busca pelos contra-ataques. Em um deles, o Glorioso assustou aos 11 minutos. Kevin cruzou, Salomon Kalou dominou e chutou. Mas a bola ficou prensada na defesa e isso facilitou a defesa de Santos.

O Athletico-PR seguia pressionando, entretanto, cansado fisicamente. Assim dava campo ao Botafogo, que quase marcou aos 28 minutos. Bruno Nazário recebeu livre na área e chutou para grande defesa do goleiro Santos.

Essa postura mais ofensiva do Botafogo deu efeito aos 34 minutos, quando o Glorioso chegou ao gol. E dessa vez ele valeu. Rhuan penetrou na área e foi derrubado por Alvarado. O árbitro Vinicius Gonçalves Dias Araujo marcou o pênalti, convertido por Victor Luís.

Vitor Silva/Botafogo

Em desvantagem, o Furacão voltou a ser mais ofensivo. E quase empatou aos 37 minutos. Márcio Azevedo cruzou e Thiago Heleno cabeceou sobre o gol. O Botafogo respondeu aos 41, com uma bomba de Rafael Forster qaue assutou o goleiro.

Mas, quando tudo indicava a vitória do Botafogo, o Athletico construiu o empate. Aos 42 minutos, após jogada de Geuvânio, Ravanelli chutou sem chances para o goleiro. Aos 44 minutos o árbitro marcou pênalti a favor do Furacão após a bola bater na mão de Rafael Forster. Mas Nikão isolou a bola na cobrança.

Apesar disso, o Furacão não desanimou e quase marcou aos 45. Geuvânio apareceu livre e acertou o travessão. No último lance, Marcelo Benevenuto ainda cabeceou para a defesa de Santos. Mas o jogo ficou nisso.

As duas equipes agora terão clássicos estaduais pela frente no fim de semana pelo Campeonato Brasileiro. No sábado, o Athletico pega o Coritiba às 16h30(de Brasília), também na Arena da Baixada, em Curitiba (PR). No domingo, às 20h30(de Brasília), o Botafogo encara o Vasco no Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ).

FICHA TÉCNICA:

ATHLETICO-PR 1 X 1 BOTAFOGO-RJ

Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)

Data: 9 de setembro de 2020 (Quarta-feira)

Hora: 17h30 (de Brasília)

Árbitro: Vinicius Gonçalves Dias Araujo (SP)

Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa (SP)

VAR: Braulio da Silva Machado (SC)

Cartões amarelos: Lucho González (Athletico-PR)

Gols:

ATHLETICO: Ravanelli aos 42 minutos do 2º Tempo

BOTAFOGO: Victor Luís aos 34 minutos do 2º Tempo

ATHLETICO: Santos, Jonathan (Khellven), Aguilar, Thiago Heleno e Márcio Azevedo; Erick (Ravanelli), Lucho González (Alvarado), Léo Cittadini (Christian) e Nikão; Fabinho (Geuvânio) e Bissoli

Técnico: Eduardo Barros

BOTAFOGO: Diego Cavalieri, Rafael Forster, Marcelo Benevenuto e Kanu; Kevin, Luiz Otávio (Rentería), Caio Alexandre, Bruno Nazário e Victor Luis; Salomon Kalou (Rhuan) e Matheus Babi

Técnico: Paulo Autuori

Veja também:

A novela continua! Após desistir de espanhol, Palmeiras segue em busca de novo técnico
Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade