PUBLICIDADE

Dudu e Arrascaeta protagonizam duelo de lideranças técnicas na final da Libertadores

27 nov 2021 04h33
| atualizado às 04h33
ver comentários
Publicidade

Neste sábado, Palmeiras e Flamengo definem quem fica com o título da edição de 2021 da Libertadores. A bola rola às 17h (horário de Brasília), no Estádio Centenário, em Montevidéu, no Uruguai. Em campo, as equipes apostam em Dudu e Arrascaeta como diferenciais técnicos para ficar com o título.

(Arte: Gazeta Esportiva)

Esta final de Libertadores tem um significado especial para Dudu. Afinal, o atacante disputou apenas partidas da fase de grupos na temporada passada, não participando dos momentos decisivos da campanha que culminou com o título conquistado pelo Verdão. Dessa vez, o jogador foi fundamental para que o time chegasse à final. Marcou um dos gols na vitória por 3 a 0 sobre São Paulo, pelas quartas, e o tento decisivo contra o Atlético-MG, na segunda semifinal.

Desde que chegou ao Palmeiras, em 2015, Dudu soma 332 jogos pelo time alviverde, com 74 gols marcados. Desde que retornou do empréstimo ao Al-Duhail, do Catar, o atacante participou de 27 partidas e balançou as redes quatro vezes. Ele é o jogador do Verdão com mais gols no século e mais vitórias (187).

Dudu não precisou de muito tempo para se firmar na equipe titular de Abel Ferreira. No início, o camisa 4+3 atuou como meia centralizado, tendo bastante liberdade para se movimentar. No entanto, com Raphael Veiga e Gustavo Scarpa se consolidando como dupla, o atacante passou a ser escalado pelo lado esquerdo do ataque.

Enquanto isso, Arrascaeta também busca o seu segundo título da Libertadores pelo Flamengo, mas a diferença é que participou de toda a campanha vitoriosa em 2019. O uruguaio é um dos jogadores mais regulares tecnicamente do estrelado elenco rubro-negro, mas ainda há uma incerteza quanto sua forma física para a final deste sábado.

Afinal, Arrascaeta ficou de fora dos gramados por um mês e meio. O meia sofreu uma lesão de grau 2 na coxa direita durante partida da seleção uruguaia, pelas Eliminatórias. O departamento médico do Flamengo elaborou um cronograma especial para recuperar o jogador da melhor forma possível até a grande decisão. O meia saiu do banco de reservas nos dois últimos jogos da equipe no Brasileirão, com o intuito de ganhar ritmo para a final.

Arrascaeta custou cerca de R$ 63 milhões aos cofres do Flamengo em 2019, sendo a terceira contratação mais cara da história do futebol brasileiro - fica atrás apenas de Gabigol e Pedro. Em 135 partidas pelo time rubro-negro, o meia marcou 39 gols. Em 2019, na final contra o River Plate, deu assistência para Gabigol marcar o primeiro do time.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade