0

Campello recebe apoio de Eurico e é eleito presidente do Vasco

20 jan 2018
01h02
atualizado às 01h41
  • separator
  • comentários

Mesmo sem se candidatar, Eurico Miranda saiu vencedor nas eleições do Vasco da Gama . Depois de muita confusão, dentro e fora da sede do clube, Alexandre Campello da Silveira foi eleito o novo presidente do clube para o próximo triênio. Elói Ferreira de Araújo será o primeiro vice-presidente e Sônia Maria Andrade dos Santos a segunda representante na mesa diretiva. Campello chegou à vitória com 154 votos, contra 88 de Julio Brant.

O resultado é reflexo de uma grande e inesperada reviravolta. Depois de conseguir por meio de uma ação na Justiça anular a eleição de novembro por causa da famosa urna 7 e, assim, impedir que Eurico Miranda se mantivesse no poder, Julio Brant herdou a vitória no pleito com votação dos sócios.

Entretanto, após uma infinidade de recursos judiciais, ficou definido que Vasco seria comandado por Eurico, Brant e Horta até que os Conselheiros definissem o novo presidente do clube, já com Eurico fora da disputa.

A tendência era até mesmo que Brant sequer tivesse adversário nessa sexta. O problema é que na noite da véspera da votação, Alexandre Campello da Silveira surpreendeu muita gente ao anunciar que não seria mais o vice de Julio Brant por entender que o candidato havia deixado seu apoio em plano secundário.

A candidatura de Campello, assim, recebeu o apoio do grupo de Eurico Miranda para concorrer à presidente enfrentando justamente Julio Brant. Em menos de 24 horas, a situação política do clube se transformou.

"Foi um vergonha, uma mancha, nunca havia ocorrido nos 120 anos da história do Clube de Regatas Vasco da Gama", disse Julio Brant. "Infelizmente o maior vencedor da noite foi o Eurico Miranda, pois o nome dele foi gritado", emendou

A decisão de Alexandre Campello da Silveira em mudar de lado na disputa eleitoral trouxe uma grande surpresa a Brant. "A traição veio dele, realmente é triste, nós trabalhamos com uma chapa eleita com quase 2 mil votos para tirar o Eurico. Um membro saiu dessa chapa para ser apoiado pelo Eurico. Não esperava esse tipo de manobra, causou muita tristeza", reforçou.

Por outro lado, Eurico Miranda, em sua entrevista após a eleição, deixou claro que continuará muito forte dentro do Vasco, mesmo sem a função de presidente. "Eu vou durar muito tempo, vocês ainda vão me ver muito tempo aqui", disse.

Todo esse cenário colaborou ainda mais para um clima tenso. Nas ruas do entorno da sede da Lagoa, a polícia precisou usar gás de pimenta e bombas de gás para conter os ânimos de torcedores, associados e Conselheiros. No salão nobre as cenas não eram tão diferentes.

Julio Brant se pronunciou sob muitas vaias e protestos ao citar o desligamento de Campello em cima da hora. O mesmo aconteceu quando Eurico Miranda tentou discursar. A cena gerou muito empurra-empurra quando Eurico ainda terminava sua fala e Brant tirou o microfone do atual mandatário, que partiu para cima do candidato de oposição.

Depois da turma do "deixa disso" controlar a situação, se deu início a votação para definição da mesa do Conselho Deliberativo. Com 158 votos, Roberto Monteiro acabou eleito, já que Eduardo Rebuzzi recebeu apenas 96 votos. Roberto Monteiro tinha o apoio de Eurico Miranda e naquele momento se desenhou a queda de Brant.

A chapa vencedora no Conselho indica 120 novos membros. A chapa seguinte mais 30. Estes se juntam a 150 Conselheiros beneméritos. Dessa forma, o grupo de 300 Conselheiros é quem assume a responsabilidade de definir o novo presidente do clube.

Com ampla maioria de apoiadores, Alexandre Campello da Silveira, que até quinta estava ao lado de Julio Brant, se elegeu para comandar o Vasco da Gama a partir de segunda-feira com o apoio da turma de Eurico Miranda. A dupla ainda fará uma composição para formar o novo Conselho Fiscal.

Novo presidente descarta participação de Eurico

Apesar de ter recebido a preferência do grupo de Eurico Miranda na votação, Alexandre Campello avisou que o ex-presidente não fará parte de sua administração. "É uma vitória da oposição, que derrotou o Eurico nas urnas, queremos transparência, uma auditoria do clube, queremos unir e reconstruir o Vasco. Queremos o equilíbrio financeiro, pretendo trazer o torcedor para o clube, aumentar as receitas", prometeu. "Não temos nenhum acordo com o Eurico, ninguém do grupo dele fará parte da administração", avisou.

Campello reiterou a posição de que saiu da chapa inicial por ter sido deixado de lado por Brant. Ele não gostou de ser acusado de "traição" do antigo aliado. "Ele desconhecia o estatuto, a eleição do Vasco tem dois turnos. então não valorizou a instituição, os beneméritos", explicou.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade