PUBLICIDADE

Bustos avalia negativamente atuação do Santos, mas considera derrota injusta contra o Goiás

15 mai 2022 22h32
ver comentários
Publicidade

O técnico Fabián Bustos lamentou a derrota do Santos para o Goiás, por 1 a 0, no Estádio da Serrinha, em Goiânia, mas considerou o resultado injusto, mesmo avaliando a atuação santista bem abaixo do que vinha sendo apresentado recentemente. Com o resultado, o Peixe perdeu a oportunidade de retomar a liderança do Campeonato Brasileiro.

"O primeiro é que não fizemos um bom jogo, estávamos em outro nível do que vínhamos jogando, muitos pontos fracos do que vínhamos jogando. É um pouco de cansaço, mas não é desculpa. Dominamos a posse de bola, mas não estivemos firmes na defesa, não tivemos claro na ofensiva. Chegamos muitas vezes com muita gente, creio que tivemos mais chances de gol do que o rival, mas não fomos efetivos", iniciou o treinador em coletiva de imprensa após o duelo.

"Não quero tirar o mérito do rival, do seu trabalho e seu jogo, mas me parece injusta a derrota. Não jogamos bem, tivemos muitos erros, mas tampouco merecíamos ter saído derrotados, porque foi um jogo parelho, com nosso domínio, eles criaram uma só contra, um pênalti… Depois teve jogadas parecidas para nós que não foram (pênalti), mas, sem tirar o mérito do Goiás, parece que nós não estivemos à altura do que vínhamos fazendo. Ainda assim, creio que a derrota foi injusta", complementou.

Além disso, o técnico também falou sobre os resultados negativos conquistados fora de casa - até agora, o Alvinegro praiano não conseguiu vencer fora de seus domínios pelo campeonato nacional.

"Temos que jogar jogo a jogo. Temos jogado dez jogos fora de casa, cinco em casa, uma loucura o calendário, por isso, o melhor em jogos fora de casa, ganhamos dois ou mais, primeiro por Copa do Brasil, conta como empate, porque é um jogo só, de visitante, com um a menos, com uma torcida, com todo o respeito, ruim, mas ganhamos. Depois ganhamos em Quito e perdemos por um gol, apertado, como se passou contra o São Paulo, com o Palmeiras. Temos que melhorar, seguir fortes em casa e tentar conseguir o resultado e melhorar fora de casa", finalizou.

Na próxima rodada, o Santos recebe o Ceará, no sábado, às 18h30 (de Brasília). Antes disso, porém, tem duelo da Sul-Americana contra o Unión La Calera, também na Vila Belmiro, na quarta-feira, às 21h30 (de Brasília).

Veja abaixo outros trechos da coletiva de Fabián Bustos:

Maicon e atuação coletiva

"Estamos jogando muitos (jogos) seguidos, e Maicon e o preservamos durante a semana para hoje (domingo), que também era um jogo importante. Não estivemos no nosso nível, quase todos, não teve nenhum jogador que se sobressaiu e apresentou o nível que estávamos tendo. Um exemplo, pela esquerda, tivemos 23 cruzamentos e somente cinco foram bons. Quando se cria a superioridade, se consegue colocar o jogador em posição ofensiva com chances de converter em gols, e não estamos claros, obviamente terminamos errando, porque faltou finalização, tivemos muitas, mas sem efetividade. Faltou sensibilidade para melhorar os cruzamentos, (fazer) associações melhores".

Impaciência

"O mesmo aconteceu no primeiro tempo da Copa do Brasil contra o Coritiba. No primeiro tempo, dominamos, mas não tínhamos paciência e hoje (domingo) faltou o mesmo. Pode ser um pouco o cansaço da sequência, mas não é desculpa, temos que ter tranquilidade, que insistir, temos que saber que, para abrir um jogo contra uma equipe que se torna difícil, porque coloca muita gente atrás da bola, temos que ter paciência, mais marcação, mais triangulações, pivôs, e ser mais agressivos ou melhorar a efetividade das finalizações. Hoje não fizemos e nem conseguimos uma".

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade