0

Barbieri defende atacantes e destaca valentia do Flamengo em clássico

Rubro-negro ficou apenas no empate contra o Vasco, no sábado, pelo Brasileirão

16 set 2018
14h41
atualizado às 14h41
  • separator
  • comentários

O técnico Maurício Barbieri se conformou com o empate do Flamengo por 1 a 1 com o Vasco, em clássico disputado neste sábado, no Mané Garrincha, em Brasília. De acordo com o treinador, a equipe comandada por ele demonstrou vontade em campo e fez elogios aos jogadores.

"A partir do momento que ficamos com um a menos, demonstramos valentia para buscar o resultado. Logo depois teve o episódio da lesão do jogador do Vasco", disse o técnico após o jogo, fazendo referência à expulsão de Diego na partida e à lesão do jogador vascaíno, que se chocou com o companheiro Luiz Gustavo e foi retirado do gramado de ambulância.

"Depois que a gente ficou com um homem a menos, tivemos que recuperar e roubar a bola longe do gol. A partir disso, precisamos de velocidade e não de um homem de referência. E foi isso que buscamos com as alterações. A gente criou chances, o Willian Arão mesmo teve uma oportunidade no final da partida", avaliou Barbieri, que aproveitou para defender os centroavantes do elenco. O último gol flamenguista de um jogador da posição foi de Henrique Dourado, em 12 de agosto.

"Todos os atacantes trabalham bastante e se dedicam. Nos treinamentos, eles procuram melhorar. A gente busca escalar um ou outro de acordo com o adversário. Entramos com o Uribe, pois entendemos que ele se encaixaria melhor no jogo. É normal o torcedor querer o resultado e o time jogando pra frente. Temos que ter serenidade, os jogos são decididos nos últimos minutos", explicou o treinador.

Quarto colocado no Brasileirão, o Flamengo tem 45 pontos, enquanto o Vasco tem 25 e está em 17º, dentro da zona de rebaixamento. Apesar das diferenças na classificação, Barbieri acho que o empate foi um resultado natural, uma vez que se trata de um clássico.

"A gente sabe que o clássico é um jogo à parte. Os números demonstram um equilíbrio. independentemente da condição do adversário, sabíamos que seria uma partida difícil. Eles procuravam uma jogo de bolas longas. A gente demorou a fazer a leitura de que esse seria o jogo deles. Tomamos o gol, e depois disso nos reequilibramos na partida. No segundo tempo voltamos melhor", afirmou.

Estadão Conteúdo

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade