0

Atlético de Madrid supera Juventus e abre vantagem nas oitavas da Liga dos Campeões

Equipe espanhola faz 2 a 0 dentro de casa e deixa time de Cristiano Ronaldo em situação complicada

20 fev 2019
19h34
atualizado às 19h41
  • separator
  • comentários

Em uma noite de duelos no estádio Wanda Metropolitano, em Madri, o Atlético de Madrid levou a melhor nesta quarta-feira sobre a Juventus e o VAR (árbitro de vídeo, na sigla em inglês) com a vitória por 2 a 0 na partida de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões da Europa. Assim, leva uma boa vantagem para o confronto da volta, marcado para o dia 12 de março, no Juventus Stadium, em Turim, na Itália, para passar às quartas.

O jogo na capital espanhola envolveu vários duelos particulares. Foi do Atlético de Madrid contra a Juventus, dois clubes atrás do título que não veio em finais recentes; dos craques Griezmann, campeão do mundo pela França, contra Cristiano Ronaldo, o melhor do mundo por cinco vezes; da torcida do Atlético de Madrid contra o atacante português, vaiado a todo momento por ser ídolo do rival Real Madrid; e, principalmente, do Atlético de Madrid contra o VAR.

O árbitro de vídeo, novidade na Liga dos Campeões a partir das oitavas de final, foi utilizado três vezes na partida desta quarta-feira pelo alemão Felix Zwayer. No primeiro tempo, um pênalti para o Atlético de Madrid foi marcado, mas a revisão da jogada mostrou que o atacante Diego Costa foi derrubado fora da área. Na segunda etapa, Morata fez o gol de cabeça, aos 25 minutos, só que novamente o time espanhol "perdeu" para o VAR, que flagrou um empurrão do atacante em Chiellini na conclusão para as redes.

Na terceira interferência do VAR, desta vez sem a consulta do árbitro ao monitor no lado de fora do gramado, o gol valeu. Aos 32 minutos, depois da cobrança de escanteio pela esquerda, a bola ficou viva na área da Juventus e o zagueiro Giménez chutou de direita para abrir o placar. Os jogadores da Juventus reclamaram de um toque do uruguaio no rosto de Bonucci, mas nada de irregular foi marcado.

O gol aumentou ainda mais o clima de euforia no Wanda Metropolitano. A Juventus nada conseguia fazer para conter o ímpeto espanhol, que ampliou a vantagem cinco minutos depois. Em mais uma bola alçada na área, a defesa italiana afastou mal e o outro zagueiro uruguaio do Atlético de Madri, Diego Godín, chutou meio desequilibrado, contando com um leve desvio de Cristiano Ronaldo para tirar o goleiro Szczesny da jogada e sair para a comemoração no meio da torcida.

No desespero, a Juventus foi ao ataque de qualquer forma para tentar diminuir o prejuízo. Teve uma grande chance nos minutos finais com o meia Bernadeschi, mas aí apareceu o goleiro Oblak para fazer uma grande defesa e garantir os 2 a 0 no placar.

No dia 12 de março, na volta, a Juventus precisará ganhar de três ou mais gols de diferença para se classificar. Um gol do Atlético de Madrid deixará os italianos em situação mais complicada, pois não poderá vencer por dois de vantagem. Um novo 2 a 0, para o time de Turim, levará a decisão da vaga para uma prorrogação e, se necessário, disputa por pênaltis.

Estadão
  • separator
  • comentários
publicidade