PUBLICIDADE

Atacante da Chapecoense se desculpa após 'momento de fúria' em jogo com o Inter; veja vídeo

Bruno Silva deu uma rasteira em Peglow e acertou um soco no rosto de Caio Vidal na partida pelo Campeonato Brasileiro

25 jun 2021 10h35
| atualizado às 15h03
ver comentários
Publicidade

O atacante Bruno Silva, da Chapecoense, teve um "momento de fúria" durante a derrota para o Internacional por 2 a 1, na desta quinta-feira, na Arena Condá, em Chapecó (SC), pelo Campeonato Brasileiro. Aos 50 minutos do segundo tempo, o atleta deu uma rasteira em Peglow e acertou um soco no rosto de Caio Vidal na sequência. Ele usou as redes sociais para se desculpar sobre o ocorrido.

"Quero pedir desculpas ao Caio Vidal, para meus companheiros de profissão e aos torcedores da Chapecoense por minha atitude no final do jogo de hoje (quinta-feira). No calor do jogo e com os ânimos alterados acabei tomando decisões erradas, que vão contra os valores e ensinamentos da Chapecoense. Mais uma vez quero pedir desculpas. Tenho o compromisso de buscar corrigir essa postura para que não aconteça novamente", falou o atacante.

O lance ocasionou uma briga generalizada. Caio Vidal acabou revidando a agressão e o goleiro reserva do Internacional, Danilo Fernandes, tomou as dores do adversário e também partiu para cima do atacante. Os três foram expulsos com a ajuda do VAR.

"Golpear ou tentar golpear um adversário com uso de força excessiva fora da disputa da bola. Após a marcação de um lateral a favor da equipe da Chapecoense, em frente ao banco da equipe do Internacional, com o jogo paralisado, o jogador de número 07, da equipe da Chapecoense, foi expulso por haver agredido seu adversário de nº 31 com uma rasteira com uso de força excessiva. Ato contínuo o referido atleta também agrediu com um soco no rosto seu adversário de nº 47", relatou em súmula o árbitro carioca Alexandre Vargas Tavares de Jesus.

PUNIÇÃO

A Chapecoense informou nesta sexta-feira que Bruno Silva ficará afastado das atividades até determinação do departamento de futebol. As medidas administrativas cabíveis serão aplicadas. Neste período, o clube oferecerá todo o suporte e acompanhamento ao atleta, através da sua equipe multidisciplinar, a fim de que atitudes como essa não aconteçam novamente.

Estadão
Publicidade
Publicidade