8 eventos ao vivo

Após parecer favorável do MPT, agentes veem Scarpa mais forte para vencer o Flu

17 abr 2018
08h06
  • separator
  • comentários

Gustavo Scarpa ganhou armas e esperança para vencer o Fluminense na Justiça. O MPT (Ministério Público do Trabalho) se manifestou a favor do mandado de segurança que o liberava para assinar com o Palmeiras no início do ano.

Apesar de o posicionamento não anular a decisão do Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro, a Gazeta Esportiva apurou que o estafe do atleta acredita que se tratou de um passo importante para que o jogador volte ao Verdão.

No entender dos empresários do jogador, será "estranho" se a juíza Dalva Macedo, da 70ª vara do trabalho, seguir com parecer contrário a Scarpa, uma vez que não haverá embasamento ou argumentação judicial. Os agentes entendem que o posicionamento do MPT tem grande peso judicial em futuras decisões.

O mandado que liberava o meia para assinar com o Palestra foi derrubado no dia 15 de março em um julgamento no TRT após um pedido de liminar do Fluminense. Em recurso de 1ª instância, a juíza Dalva Macedo, da 70ª vara do trabalho, deu um prazo de 10 dias úteis para as partes apresentarem as razões finais sobre o caso. Quando receber e analisar as manifestações, a magistrada dará a decisão final.

De qualquer maneira, caberá recurso à parte derrotada. O caso pode até mesmo ir parar em Brasília, no TST (Tribunal Superior do Trabalho). O Palmeiras segue fora do processo jurídico e vê um acordo com o Fluminense apenas como última opção no caso.

O Tricolor afirma "brigar pelos seus direitos", mas não quer ter o jogador de volta. Na prática, o clube das Laranjeiras se interessa em uma possível compensação, que pode ser financeira ou de atletas.

No final de 2017, Gustavo Scarpa entrou na Justiça contra o Fluminense por conta de R$ 9 milhões devidos pelo clube ao jogador, entre salários, direitos de imagem e outras pendências. Em janeiro, o meia conseguiu a rescisão contratual na Justiça do Trabalho do Rio de Janeiro e assinou com o Palestra por cinco temporadas.

O novo capítulo no imbróglio jurídico aconteceu justamente no melhor momento de Scarpa no Palmeiras. Após uma longa pré-temporada, o camisa 14 marcou seus primeiros gols pelo clube pouco antes de a rescisão ser publicada pelo BID (Boletim Informativo Diário) da CBF.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade