0

Presidente da Federação Peruana de Futebol é preso

Edwin Oviedo teria participado de grupo acusado de ordenar assassinatos de sindicalistas e manipular a Justiça

7 dez 2018
05h32
atualizado às 07h47
  • separator
  • comentários

O presidente da Federação Peruana de Futebol (FPF), Edwin Oviedo, foi detido nesta quinta-feira, acusado de integrar uma organização criminal. O grupo contaria ainda com magistrados e empresários poderosos, conforme anunciou o chefe contra o crime organizado do país, Jorge Chávez.

Oviedo foi colocado em "detenção preliminar" por 15 dias, conforme revelou Chávez em entrevista à rede de televisão local ATV. Segundo a polícia peruana, o dirigente era operador e financiador da organização criminal "Os colarinhos brancos do Porto", acusada de manipular a Justiça em diversos processos para favorecer criminosos, em troca de dinheiro ou de favores.

Polícia guarda porta da Federação Peruana depois da prisão de Oviedo
Polícia guarda porta da Federação Peruana depois da prisão de Oviedo
Foto: Mariana Bazo / Reuters

Oviedo, de 47 anos, é acusado de financiar viagens e despesas de diversos juízes importantes para a Copa do Mundo da Rússia, com objetivo de convencer os magistrados a ajudá-lo em outro julgamento envolvendo o dirigente.

O presidente da FPF foi acusado de ordenar os assassinatos de dirigentes sindicais em 2015, em meio à disputa empresarial para a administração de uma importante indústria produtora de açúcar. A promotoria pediu que Oviedo seja preso de forma preventiva por 24 meses por este crime, e a Justiça anunciará sua decisão na sexta-feira.

Policial leva Edwin Oviedo, presidente da Federação Peruana de Futebol
Policial leva Edwin Oviedo, presidente da Federação Peruana de Futebol
Foto: Enrique Mandujano / Reuters

A detenção de Oviedo aconteceu em sua residência, em uma zona rica de Lima. Fotos divulgadas pela imprensa mostram o dirigente sentado na sala, rodeado de policiais. De acordo com a ordem de detenção judicial, a polícia também está liberada para adentrar a sede da FPF.

Veja também

 

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade